Poesia da semana - Soneto VII - Gregório de Matos

Ardor em firme coração nascido;
Pranto por belos olhos derramado;
Incêndio em mares de água disfarçado;
Rio de neve em fogo convertido:

Tu, que em um peito abrasas escondido;
Tu, que em um rosto corres desatado;
Quando fogo, em cristais aprisionado;
Quando crista, em chamas derretido.
      
Se és fogo, como passas brandamente,
Se és fogo, como queimas com porfia?
Mas ai, que andou Amor em ti prudente!
      
Pois para temperar a tirania,
Como quis, que aqui fosse a neve ardente,
Permitiu, parecesse a chama fria. 

Gregório de Matos (1636-1696)


O objetivo deste quadro é valorizar a poesia e seus melhores autores, quaisquer sejam suas nacionalidades. 

Nesta semana, o poema escolhido é o Soneto VII, de Gregório de Matos, "o Boca do Inferno", grande representante do barroco brasileiro. Percebam as contradições utilizadas: "Rio de neve em fogo convertido", "parecesse a chama fria". Além da fluência em um soneto rebuscado (como é característico desta escola literária). 

Gregório de Matos é, sem sombra de dúvida, um dos mais excepcionais escritores de nossa história.

Share this:

COMENTÁRIOS

1 comentários:

  1. Mesmo eu, que não gosto tanto de poesias (prefiro crônicas e contos), admiro esse grande escritor. Acho muito importante valorizar a poesia, que é tão pouco conhecida entre os jovens atualmente. Adorei a que você escolheu. Beijos
    Desfocando Ideias<\a>

    ResponderExcluir