Resenha: Persuasão - Jane Austen

Persuasão
Autora: Jane Austen
Editora: L&PM
Ano da edição: 2011
Páginas: 253
Tradutor(a): Celina Portocarrero
ISBN: 978-85-254-2216-3
Tipo: literatura inglesa, romance, século XIX.

Sinopse: 
Anne Elliot, a heroína de Persuasão, é uma nem tão jovem solteira que, seguindo os conselhos de uma amiga, dispensara, sete anos atrás, o belo e valoroso (porém sem título nobiliárquico e sem terras) Frederick Wentworth. No entanto, o futuro sentimental e financeiro de Anne não é muito promissor, e quando o destino a coloca frente a frente com Frederick, agora um distinto capitão da Marinha britânica, reflexões, conjunturas e arrependimentos são inevitáveis.



Sir Walter Elliot, de Kellynch Hall, em Somersetshire, era um homem que, para seu próprio entretenimento, nunca se interessou por qualquer livro além do Baronetage; ali encontrava ocupação para os momentos de ócio e consolo nos de angústia; ali era tomado de admiração e respeito diante da contemplação dos limitados vestígios dos títulos mais antigos; ali, quaisquer sensações indesejáveis despertadas por assuntos domésticos transformavam-se com naturalidade em compaixão e desdém à medida que ele percorria as quase infinitas criações do último século, e ali, ainda que um ou outro trecho fosse desinteressante, ele podia ler sua própria história com um interesse que nunca se desfazia. (página 1)

 Persuasão me chamou a atenção quase de imediato pela diferença aparente entre este e os outros livros de Austen, que explicarei a seguir.

 O livro conta a história de Anne Elliot, a segunda filha de Sir Walter e certamente a mais desafortunada das três irmãs: Elizabeth, a primogênita, é preferida porque é tão bonita quanto o pai; já Mary, a caçula, casou-se logo que teve a oportunidade (com um bom partido, é claro) e não convive mais com a família; assim, todo o desprezo dos outros recai sobre Anne. Ela é considerada praticamente um enfeite, pois não a deixam falar e sua presença lhes é realmente insignificante. A única amiga de Anne é Lady Russell, uma das pessoas mais próximas de sua mãe e que terminou de criá-la após a morte daquela.

 Somos informados que Anne só é solteira porque assim escolheu. Oito anos atrás, quando tinha 19 anos, um rapaz roubou-lhe o coração; porém, a menina era muito prudente e acatava o que sua família e Lady Russell diziam, desfazendo o compromisso com Frederick Wentworth logo em seguida. Os anos passaram, outras propostas lhe foram feitas, e Anne não conseguia tirar Frederick de seu coração.


Ouvi-los falar tanto do capitão Wentworth, repetir tantas vezes o seu nome, relembrar anos distantes e, ao final, deduzir que era possível, era provável, tratar-se do mesmo capitão Wentworth que lembravam ter encontrado, uma ou duas vezes, ao voltarem de Clifton - um rapaz muito distinto -, mas sem poderem dizer se isso havia acontecido sete ou oito anos antes, foi uma espécie de desafio para os nervos de Anne. Ela descobriu, porém, ser aquele um desafio com o qual deveria se habituar. Já que ele era realmente esperado na região, ela deveria aprender a, nesse sentido, se tornar insensível. (página 61)

O que achei da história?
O estilo característico de Jane está presente aqui: um romance que retrata uma história de amor na sociedade inglesa daquela época, mas que, ao mesmo tempo, também analisa criticamente essas classes sociais com um olhar que só Jane Austen é capaz de transmitir. Sempre achei que suas histórias parecem um “tapa com luvas de pelica” e Persuasão não é diferente.
Como disse no começo, este livro despertou em mim uma enorme curiosidade: como Austen escreverá sobre apaixonados que voltam a se encontrar (meu estilo favorito de histórias de amor)? Pensei que seria um romance um pouco mais sofrido, mas de modo algum me decepcionei: é construído lentamente, deixando aquela vontade de ler mais e mais e mais, até o momento em que você tem de terminar ou não suportará.
Algo que não me agradou: o título. Como este livro foi publicado após a morte da autora, o título não é dela. “Persuasão” entrega muito do enredo e é até bem repetitivo. Já o primeiro título cogitado, “Os Elliot”, me agrada bem mais.

O que achei das personagens?
Ah, e não são as personagens de Austen seu ponto forte?
A vaidade era o começo e o fim da personalidade de Sir Walter Elliot; vaidade por seu aspecto e sua posição. Fora extraordinariamente bonito na juventude e, aos 55, era ainda um homem muito atraente. Poucas mulheres se preocupariam mais com a aparência pessoal do que ele (...). Considerava a bênção da beleza apenas inferior à bênção do título de baronete,e ser Sir Walter Elliot, que reunia tais dons, era o constante objeto de seu mais caloroso respeito e devoção. (página 16)

Elizabeth, aos dezesseis anos e na medida do possível, sucedera a mãe em direitos e importância; sendo muito atraente e muito parecida com o pai, sempre exerceu sobre ele grande influência.(...) (página 17)

(...) Mas Anne, com uma elegância de espírito e doçura de temperamento que a fariam ser levada em alta conta por pessoas de real discernimento, nada representava para o pai ou a irmã; suas palavras não tinham peso, sua utilidade era ceder sempre - ela era apenas Anne. (página 17)

(...) Ele (Frederick Wentworth) era, naquela ocasião, um rapaz excepcionalmente atraente, de grande inteligência, coragem e brilho (...). (página 37)

 Jane Austen as descreve de uma maneira tão elegante e, ao mesmo tempo, direta: parece que temos a exata dimensão que ela deseja nos passar. Amei as personagens que deveria amar, odiei as que deveria odiar, etc., mas apenas uma me deixou frustrada: a Sra. Smith. É retratada como uma pessoa alegre e caridosa; porém, não consegui vê-la desta maneira. Tive a impressão de que era, inclusive, muito aproveitadora.

Onde o livro se passa?
Um dos locais mais utilizados na história é a região de Bath. Fiz uma pesquisa e a Milsom Street, uma das ruas em que Anne and Frederick se reencontram, realmente existe. 


Milsom Street
 Quando vi o lugar através de fotos e mapas, não consegui pensar em algo melhor para esta história. Já nos transmite o sentimento certo agora, imagine na época de Austen!

Comparativamente
Li outros dois romances de Austen anteriormente, Orgulho e Preconceito e Emma, e vou comparar Persuasão aos dois.
● História: O&P e Emma são melhores; Persuasão, de fato, é bem semelhante ao primeiro;
● Heroína: Lizzie (O&P) é melhor que Anne, mas esta ganha de Emma (que é muito irritante). Inclusive, Lizzie e Anne são muito parecidas; o que parece diferenciá-las é a maturidade.
● Herói: em ordem de preferência, Sr. Knightley (Emma), Sr. Darcy (O&P) e Capitão Wentworth (Persuasão). Gosto muito dos três, mas o último não conseguiu me encantar como os outros.

A edição
Li a versão da Editora L&PM (versão Pocket) e não me decepcionei: a arte de capa é simplesmente perfeita; apesar de ser de bolso, é bastante robusto e não se danifica facilmente. O que não me agradou: a tradução (comparei alguns trechos em português e inglês e não achei que estavam bem traduzidos) e a formatação do texto (nas cartas, poderiam ter usado uma formatação diferente, como itálico; alguns dos diálogos estavam sem travessão ou aspas e isto dificultou a leitura).

Notas

● Enredo: 5/5
● Exemplar: 4/5;

Sobre a Autora
Jane Austen é uma das escritoras inglesas mais famosas, passados mais de dois séculos de sua morte. Autora de romances como Orgulho e preconceito, Razão e sentimento e Persuasão, consagrou-se por seus diálogos afiados e pela ironia presente em seus romances. Seus recursos de linguagem tinham um alvo específico: a sociedade provinciana inglesa do século XVIII.





Esta resenha faz parte do Desafio Literário do grupo Devoradores de Livros.

PS: Eu escrevi um pequeno poema sobre o livro e decidi compartilhar com vocês. Pode conter spoilers (se isso for considerado spoiler :P):

My dear and beloved Anne,
How wonderful to spell your lovely name
Under the surface of a true love.
My heart has always belonged to yours
And I can't find another source of a more complete
And long desired happiness.
Shall I hope we can live together
For the longest of the times
To forget the pain of those eight hateful years
And to welcome times of unlimited joy?
I shall pray to Heavens so, and I will.
Thank you for choosing the heart of this simple sailor,
And an even greater thank for never letting me
Truly go away.
People will call you Mrs. Wentworth
And I could not be even more proud of my inheritance.
Because you, my lady, is worthy of all love
I can must in this instance.
Frederick Wentworth

Share this:

COMENTÁRIOS

5 comentários:

  1. Participando

    ResponderExcluir
  2. Primeiramente venho dizer que amei o estilo do seu blog, é a coisa mais fofa! Amei o estilo da resenha também.

    Sempre ouvi falar dos livros da Jane Austen, mais confesso que nunca senti vontade de ler, agora acabei de perceber que é o meu estilo! Amei as citações! Adorei seu jeitinho de escrever, e com toda certeza vou dar uma chance a Jane Austen

    Um beijo

    http://cheireiumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana!

    Conhecer a obra de Jane Austen é um dos meus maiores obejtivos literários ainda a cumprir. Sempre ouço falar bem da autora e seus livros, mas até agora não tive a oportunidade de ler nenhum. Assim que minhas leituras prioritárias estiverem prontas pretendo me aventurar em algum de seus livros. Você tem alguma sugestão de por qual começar? Eu estava pensando em Orgulho e Preconceito...

    Eu conheço essa edição da L&PM, mas não gostei muito dela. Edições Pocket me desagradam, principalmente pela falta de orelhas. Eu amo as orelhas! hehe Mas não se preocupe, eu não marco as páginas com elas; o motivo para adorá-las tanto é porque acho que elas ajudam a proteger a integridade do livro. E livros sem orelhas me transmitem uma sensação enorme de vazio.

    De acordo com os trechos que você citou, pude perceber que a escrita da Jane é bem elaborada e promete ser agradável. Sua resenha está bem explicativa. Parabéns!

    Leitores Forever

    ResponderExcluir
  4. Participando -mourakatia37@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. Angélica Felix Lima4 de janeiro de 2015 20:32

    Oii, tudo bem?
    Da Jane só li O&P e amei, estou com o Persuasão aqui esperando para ser lido e agora com sua resenha me deu mais vontade!
    Adorei a seleção de quotes!
    Bjs


    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir