RESENHA: Alameda dos Pesadelos, de Karen Alvares




Autora: Karen Alvares
Editora: Cata-vento
Páginas: 263
Ano: 2014
ISBN: 9788566725094



Vívian era apenas uma mulher solitária, com uma vida normal, presa em sua rotina sem graça, até a noite em que presencia um acidente. A partir daí seu pesadelo começa; ela passa a ter visões de um homem que conheceu no passado e desejava nunca mais encontrar. E o pior: ele quer vingança. Até que ponto um pesadelo é fruto da imaginação? Vívian descobre que o limite entre a alucinação e a realidade é tão pequeno que a loucura está a apenas um passo de distância e o pesadelo pode estar escondido na nossa mente, como um monstro à espreita, esperando sua chance de despertar. E para escapar do seu horror particular, Vívian precisará entender quais foram seus erros. E finalmente aceitar a própria culpa.


Alameda dos Pesadelos é um baita romance da colega escritora Karen Alvares. Tive a oportunidade de participar de uma #BookTour junto com outros blogueiros e não é que o primeiro livro da Karen me pegou de jeito? O próprio título já demonstra a força que o enredo trás para o leitor. E você entenderá o porquê nesta resenha. 

O livro conta a história de Vívian, uma mulher que tem uma vida intrigante e despertou minha curiosidade de primeira. Ela tem uma vida normal até que ela presencia um acidente e passa a ter visões de um homem que conheceu no passado e que não desejaria nunca mais vê-lo em seu presente, nem em seu futuro. A sinopse é tão sincera em relação ao livro que uma pergunta feita na mesma, eu me fiz assim que li uma parte do livro: Até que ponto um pesadelo é fruto da imaginação?
 

“Eu não entendia. A única linguagem que Gabriel respeitava era o grito e a dor.”


Sabe aqueles personagens que você adoraria matar? Gabriel é um deles. O cara não me desceu nas primeiras cenas em que aparece. É metido, cheio de si. E é com ele que Vívian tem um passado que gostaria de esquecer. Gabriel não se conforma por ter sido deixado, mesmo tendo consciência do mal que causou na vida de Vívian e sua família.


“Assim que encostei a cabeça no vidro gelado, eu o vi.” 


A escrita de Karen é muito boa, deixando claro nas passagens passado/presente narradas por Vívian o quanto Karen tomou cuidado para escrever uma história de altíssima qualidade envolvendo pesadelos. Já li algo a respeito, mas nunca tinha encontrado um livro que me fizesse pensar se teria pesadelos como os da personagem. É um prazer enorme quando isso acontece, pois prova o quando a autora é boa e tem a crescer. 

Karen Alvares é um diamante raro que tenho o prazer de conhecer, admirar e acompanhar seu talento evoluir cada vez mais. 


“A vida é um jogo de tabuleiro; daqueles que você joga o dado e anda uma, duas, cinco casas. Se você não aprender o que tem que ser aprendido na vida, vai ser obrigado a voltar ao início e tentar de novo até conseguir. Se você teimar nos mesmos erros, vai ter que voltar ao início do tabuleiro.”

Share this:

COMENTÁRIOS

1 comentários:

  1. Vitor, adorei sua resenha! Muito obrigada! Fiquei muito emocionada e feliz que tenha curtido tanto o livro e pelas palavras lindas! <3
    Obrigada, obrigada!

    ResponderExcluir