RESENHA: Mago: Mestre - A Saga do Mago - Livro 02 - Raymond E. Feist



Autor: Raymond E. Feist
Editora: Saída de Emergência Brasil
Páginas: 432
Ano: 2014
ISBN: 9788567296036



A saga épica de Midkemia continua… Passaram-se três anos desde o terrível cerco a Crydee. Os três rapazes que eram os melhores amigos do mundo encontram-se agora a quilômetros de distância. Pug, um escravo dos Tsurani, está prestes a se tornar um dos maiores magos que já existiram. Tomas, um grande guerreiro entre os elfos, arrisca-se a perder sua humanidade para a armadura encantada que veste. Arutha, príncipe de Crydee, luta desesperadamente contra invasores e traidores para salvar seu reino. Mago Mestre é recheado de aventura, emoção e ameaças tão antigas quanto o próprio tempo. Com o segundo volume de A Saga do Mago, Raymond E. Feist volta a provar que é um dos maiores nomes da literatura fantástica na atualidade.

A Saga épica de Midkemia ainda não me convenceu.
Isso mesmo que você acabou de ler. Eu sei o quanto a história é boa, o quando o cara escreve bem, mas ainda falta algo. Algo que ainda não consigo identificar na narrativa de Feist, que não me agrada. O livro pode ser considerado um clássico moderno na literatura fantástica, mas ainda não provocou o que outros livros do gênero provocaram no término da leitura. 

Mago: Mestre é a singela continuação de Mago: Aprendiz. Mostra uma passagem interessante – sem contar que estes dois livros, antes eram um só. Digamos que Feist dividiu em dois volumes para ficar um livro comercial, o que achei interessante. 

Ao contrário do que muitos leitores acharam, a história de Pug não me deixou com o coração na mão, pelo contrário. É até difícil escrever uma resenha onde a história não convenceu o leitor. Pois existe uma linha tênue entre o amor e o ódio. Eu gostei, ou não gostei? Afinal, o que tem em Feist que não me agrada? Faço questão de ler toda a série para descobrir o que ainda não fui capaz de compreender. 


“— Sim, Pug, todos precisamos de um sonho. Ainda sim – acrescentou com ânimo —, um sonho é uma coisa; uma mulher viva, quente e respirando é outra. – Vendo que Pug ficara irritado com a observação, mudou de assunto: — Quem é Carline, Pug?”

Pug passará por grandes batalhas. Arutha terá que procurar reforços para lutar na próxima estação. Os Tsurani pretendem atacar seu povo. Serão tantas batalhas, que eles questionarão se vale mesmo todo esse esforço. 

 “O mago retirou um dispositivo do manto. Pug se lembrava de ter visto um objeto daqueles, durante o ataque ao acampamento tsurani, e sentiu ainda mais medo. O mago ativou-o e o aparelho zumbiu como o outro. Colocou uma mão no ombro de Pug e a sala sumiu em uma névoa cinzenta.”

Eu ainda espero dar outra oportunidade a Saga do Mago, reler os dois primeiros livros, pois realmente é difícil acreditar que eu não tenha gostado de um clássico da literatura fantástica. Dou os parabéns mais uma vez à Editora Saída de Emergência pelo maravilhoso trabalho editorial – capa, diagramação e revisão muito bem trabalhadas. E claro, Pug precisa de mim para suas próximas batalhas. 



“O Príncipe dos Elfos estava sentado calmamente. Calin esperava por sua mãe. Tinha muito em que pensar e precisava falar com ela naquela noite. Nos últimos tempos, tivera poucas chances para isso, pois, conforme a guerra se alastrava, tivera cada vez menos tempo para ficar nas frondosas copas de Evandar.”

Share this:

COMENTÁRIOS

0 comentários:

Postar um comentário