RESENHA: Dizem por aí... - Jill Mansell

Dizem por aí...
Autora: Jill Mansell
ISBN:  9788581630137
Páginas: 430
Editora: Novo Conceito
Ano: 2012 (lançamento)
Sinopse:  O namorado de Tilly Cole acaba de se mudar do flat deles com metade de suas coisas. Sem nada para prendê-la, Tilly decide rapidamente morar mais perto de sua melhor amiga, Erin, em um vilarejo minúsculo em Cotswolds. Lá, Tilly é contratada no mesmo momento como faz-tudo em uma empresa de design de interiores. Para sua surpresa, a cidade pequena transborda escândalo, sexo, fofoqueiros e boatos, focados basicamente em Jack Lucas, o homem lindo de muita classe e melhor amigo de seu chefe. Todos falam para Tilly ignorar o encanto por Jack, que ela será apenas outra em sua cama se ela se deixar levar; mas Tilly, que trabalha ao lado de Jack, enxerga uma parte carinhosa e cuidadosa dele que não é revelada à cidade. É impossível que ele seja a mesma pessoa de quem todos falam. Ou é possível? Tilly deve separar os fatos da ficção e seguir seu instinto neste divertido romance moderno.


OBS: Como algumas pessoas devem saber, o blog será fechado em breve... Por conta disso, decidi que não quero mais escrever aquelas resenhas extremamente técnicas! Vocês perceberão os tópicos abordados anteriormente, mas agora será mais como uma conversa informal, hehehe. Quero me divertir antes de acabar!

A Tilly, personagem principal, foi abandonada pelo namorado do jeito mais non-sense de todos: simplesmente juntou metade das coisas e foi embora! Não que ela tenha ficado muito triste...
Eis que ele decide voltar, mas já é tarde. Tilly Cole decide se mudar para Cotswolds, onde vive sua melhor amiga, Erin. É contratada por um Design de Interiores como uma faz-tudo, inclusive como babá de sua filha (que é uma fofa).
Claro, como toda cidade pequena, há muuuuuuuuitas fofocas. Como a sinopse mostra, a maioria está ligada a Jack Lucas, o mais cobiçado solteiro da cidade.
Sério? Sério? Sério?
Eu acho que sou careta demais (ou visionária, quem sabe?), mas essa de o homem ser sempre rico, bonito, elegante e completamente sem amarras me cansa! Isso não seria nada se ela também fosse poderosa, mas é claro que não é. Hei, todas nós somos umas estabanadas sem-graça que algum dia um homem TDB vai salvar? Isso me cheira muito a príncipe encantando e a Edward Cullen, eca. As fãs de Crepúsculo não me entendam mal, mas... Que mal há num cara legal? Que não é tão rico? Ou tão poderoso? Ou tão sensual? Poxa!
O livro é levinho e cheio de clichês engraçados (por assim dizer), mas essa parte sempre me irrita (se vocês lerem as resenhas anteriores, verão que falarei a mesma coisa). É tudo igual! Seria Jill a nova Marian Keyes? A nova Meg Cabot? Cadê a originalidade?
Não me levem a mal: o livro me fez dar muitas risadas. E sua nota até aumentará por tratar da temática homossexual com tanta naturalidade e dinamismo. Mas poderia ser um tequinho diferente, né?
A narrativa, como acima dito, é muito gostosa, muito leve, combina com o tempo escolhido e é coerente com os espaços em que se situa. Boa parte das personagens são umas fofas, com complexidades diferentes, mas nada profundo demais, o que combina com o livro. Ponto negativo para o clichê de sempre.
O fim não foi surpreendente, mas foi, no mínimo, interessante o tratamento especial que a autora deu aos personagens secundários. Gostei muito mais da Erin do que da Tilly!
A edição em si: muito legal! Trabalho de capa excelente, com vários toques delicados e femininos, mas nada exagerado. As páginas amareladas, como sempre, ganham pontinho, pois tornam a leitura muito mais agradável (o livro possui mais de 400 páginas).
Achei a sinopse um tanto exagerada, mas nada que estrague demais, já que a história principal não possui tanto a oferecer.
Em suma? Livro regular, na média, exatamente o esperado, nada novo ou surpreendente.



A Autora
Jill Mansell já vendeu mais de cinco milhões de livros ao redor do mundo. A autora best-seller cresceu em Cotswolds e estudou na Escola William Romney em Tetbury. Depois de trabalhar no Burden Neurological Hospital em Bristol por muitos anos, em 1992, ela tornou-se uma escritora em tempo integral. Ela mora com seu companheiro e seus filhos em Bristol.

Agradeço à Novo Conceito pela exemplar.

ATENÇÃO: Este tipo de resenha é um teste. As próximas poderão ser tanto neste formato quanto no anterior. Qualquer dúvida, mande um e-mail.
Declaro que as imagens usadas acima não são de minha autoria, respeitando os direitos autorais dos verdadeiros criadores.




Sobre a Autora:
Ana Carolina Nonato cursa Ciência da Computação na Universidade de São Paulo (USP), mais especificamente no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) em São Carlos. Leitora assídua desde os 3 anos de idade, os livros são seus maiores amores na vida juntamente com o Cinema (antigo) e o bom e velho rock 'n' roll.


Gostou? Receba as publicações por e-mail!
Digite seu e-mail:


Delivered by FeedBurner

Share this:

COMENTÁRIOS

0 comentários:

Postar um comentário