RESENHA: Branca de Neve e o Caçador - Lily Blake, Evan Daugherty, John Lee Hancock, Hossein Amini

Branca de Neve e o Caçador
Autores: Lily Blake, Evan Daugherty, John Lee Hancock, Hossein Amini
ISBN:  978-85-8163-018-2
Páginas: 208
Editora: Editora Novo Conceito
Ano: 2012 (lançamento)
Sinopse: Há dez anos, a vingativa Rainha Ravenna assassinou o rei na mesma noite em que se casara com ele. No entanto, dominar o reino tornou-se um sofrimento para a Rainha.

Para salvar seus poderes, ela deve devorar um coração puro, e Branca de Neve é a única pessoa com esse coração.

A fim de capturá-la, Ravenna recorre ao Caçador, o único homem que já se aventurou pela Floresta Sombria e sobreviveu. Branca de Neve será morta pelo Caçador? Ou será treinada por ele e se tornará a melhor guerreira que o reino já conheceu?

Enredo
Este critério será dividido em duas partes.

- Enquanto história:
Uma bela rainha, uma bela filha, um rei bem-sucedido. O destino de todos os contos de fadas. Em Branca de Neve, como todos sabem, o início até que é assim.
Entretanto, a beleza exterior de uma pessoa não implica em um deslumbrante interior.
Ravenna. Linda, altiva, cativante quando o quer. Após o casamento: Ravenna. Linda, altiva, cruel. Bruxa em quase todos os sentidos - somente o que lhe escapa são as verrugas e um exterior horrendo. Poderia ser eleita, inclusive, a rainha das bruxas.
Sua beleza não é meramente sua fantasia, seu deleite. Após anos sendo a mais bela de todas, isto é um bônus. Sua jovialidade se deve ao poder que possui dentro de si. Ravenna, linda e terrível.
Por algum motivo que escapa à compreensão, Ravenna decide manter Branca de Neve, filha do assassinado marido e rei, viva, mas trancada em uma torre escura junto com outros prisioneiros menos desafortunados que, ao contrário da menina, passam apenas alguns dias lá. Os últimos dias de suas vidas.
Branca cresce no cativeiro e se torna magnífica, uma concorrente à altura de Ravenna. Por uma oportunidade única, Branca consegue escapar antes que os guardas a peguem. Então, a história recomeça...
A descrição dos espaços em que as cenas se passam é um tanto quanto confuso, não é delineada de forma abrangente ou específica, fica em um meio-termo que pode saturar o leitor.
A conformidade entre o tempo da ação (não determinado, mas certamente em uma época longínqua e distante) e as vestes, "tecnologia" e costumes de época é muito boa.
As personagens, excetuando-se Ravenna e Branca, são difíceis de caracterizar. Por exemplo, algumas são estranhas para a situação em que se encontram, outras são até mesmo contraditórias em si, muitas (caçador, anões) são pouco exploradas em muitos pontos. Quanto às duas supracitadas, não há reclamação que possa ser feita: o leitor praticamente se sente na pele das mesmas.
O andamento é médio no geral. Tem um início mais lento, vai aumentando gradativamente, alcança seu ápice na parte central e um pouco mais para o final. O desfecho perdeu um pouco do ritmo, muito repentino e até mesmo improvável.
A criatividade de produção é média, visto que adaptações de filmes a livros não são exatamente uma prática nova, mas por conta da história ser explorada em vários detalhes e até mesmo parecer verídica, a ideia de transformá-la em livro é muito digna.
Como dito acima, a história é até mesmo plausível, consegue prender o leitor (mesmo com as inconformidades de espaço que atrapalham um pouco). Com uma abordagem diferente do original, esta dá mais atenção à rainha também, como conseguiu os seus poderes e o porquê de querer destruir aquele reino a qualquer custo. Outro fato interessante é Branca não ser apenas uma vítima, a partir de um ponto ela se torna uma guerreira disposta a tudo para libertar o seu povo. Uma verdadeira rainha.

- Enquanto adaptação:
Peca em muitos pontos: transcrição dos diálogos, transição das personagens, cenários (este em especial), o que diminui sua qualidade.

Estrutura "Artística"
Por se tratar de uma adaptação do filme ao livro, a escolha da atriz para a capa é pertinente, embora não exatamente criativa.
A diagramação é boa e as letras são de um tamanho razoável, tornam a leitura adequada. A arte nas páginas é muito bonita, denota esmero.
A sinopse traz uma ideia de enredo um tanto esquisita, pois afirma alguns aspectos que não necessariamente ocorreram daquela forma.
Apesar de, em sua maioria, ter sido uma adaptação interessante, os erros citados no aspecto anterior demonstram falta de atenção mais adequada a alguns detalhes importantes.

Estrutura Física (Materiais)
As páginas são de qualidade e amareladas, não tornam a leitura mais cansativa.
O material de capa tem resistência média, sendo suscetível a vincos e amassados.

Análise
Enredo (x2): 3,17
 • Espaço (x2): 2 (regular);
 • Tempo (x2): 5 (ótimo);
 • Personagens (x2): 3 (boas);
 • Criatividade (x1): 3 (boa);
• Andamento do enredo (x2): 3 (bom);
• Início, meio e fim (x3): 3 (bom);

Estrutura Artística (x1): 3,22
 • Capa (x1): 3 (boa);
 • Diagramação (x1): 5 (ótima);
 • Fontes (x2): 5 (ótimas);
 • Sinopse (x2): 1 (ruim);
• Enredo (x3): 3 (bom);

Estrutura Artística (x1): 4,67
• Capa (x1): 4 (muito boa);
• Páginas (x2): 5 (ótimas);


Nota final: [2*(3,17) + (3,22)*1 + (4,67)*1 ]/4= 3,56

Gostei da obra?
Confesso que esperava um pouco mais, em especial por causa do filme. Normalmente, adaptações literárias de filmes são melhores que o contrário, mas muitos aspectos me deixaram um tanto incomodada. Em alguns pontos, parecia que eu estava lendo o script do filme! Acho que é uma leitura válida, mas deve-se ir com cuidado e sem expectativas.

Não foram encontradas informações suficientes sobre os autores.

Agradeço à Editora Novo Conceito pelo exemplar.

ATENÇÃO: Este tipo de resenha é um teste. As próximas poderão ser tanto neste formato quanto no anterior. Qualquer dúvida, mande um e-mail.
Declaro que as imagens usadas acima não são de minha autoria, respeitando os direitos autorais dos verdadeiros criadores.


Share this:

COMENTÁRIOS

1 comentários:

  1. Oiii
    Adorei a sua resenha...
    Eu sempre tive vontade de ler uma história da branca de neve diferente da Branca de neve comum...era sempre a mesma coisa, nos livros infantis e até nos juvenis...Confesso que não gostei muito do filme, não sei se é por causa do enredo ou talvez por causa da Kristen, não gosto dela, e depois do que ela fez com o Robert...Mas sempre digo: o filme pode ser bom, mas o livro sempre é melhor :)
    Bjs
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir