RESENHA: Mathilda Savitch - Victor Lodato

Mathilda Savitch
Autor: Victor Lodato
ISBN:  978-85-8057-163-9
Páginas: 312
Editora: Intrínseca
Ano: 2012 (lançamento no Brasil)
Sinopse:  Mathilda Savitch tem conflitos que extrapolam as dores comuns da adolescência: sua irmã mais velha é brutalmente assassinada, jogada na frente de um trem por um desconhecido. Com a angústia de uma nação em guerra contra o terrorismo e os pais enlutados pela tragédia familiar, Mathilda decide usar a maldade para provocar alguma reação neles, que estão completamente catatônicos. Eleito o melhor livro de 2009 pelo The Christian Science Monitor, pela Booklist e pelo The Globe and Mail, o romance de estreia do poeta e dramaturgo Victor Lodato retrata, de maneira impressionante, a vulnerabilidade e a aparente ousadia adolescente.

Enredo
Mathilda é uma pré-adolescente e o livro é narrado por ela mesma.
Assim sendo, muitos dos aspectos gerais do enredo (espaço, tempo e até mesmo personagens) têm a subjetividade como padrão.
Mathilda Savitch tinha uma irmã mais velha que morreu em um misterioso "acidente". Após este fato, os pais da menina nunca mais foram os mesmos, o que lhe provoca certa revolta e vontade de ser "má", a fim de, claro, chamar a atenção de sua mãe e de seu pai, sem sucesso. A morte da filha sugou-lhes a vivacidade. A mãe de Mathilda só implica com a menina, sem uma aproximação mais direta (como se criar laços novamente a queimasse) e o pai, apesar de dar-lhe mais atenção, se mantém distante.
Nesta idade, a menina experimenta vários aspectos da adolescência em contrapartida à infância que ainda vive nela. Por exemplo, Mathilda é extremamente sincera (como uma criança o é), mas já possui a malícia de um adolescente. A menina se vê dividida em algumas questões cruciais: afirma veementemente que não é lésbica, mas sente impulsos em relação à sua melhor amiga.
A fim de revelar as circunstâncias em que sua irmã foi morta, Mathilda se põe em investigação, a testar os limites do amor e da coragem.
Os ambientes e os objetos que interagem com Mathilda são retratados exatamente como ela os vê (importância menor a média). O tempo não é explicitamente determinado, mas pode ser entendido de acordo com as tecnologias que os cercam e a cultura da época - atual. As personagens, apesar da imagem subjetiva das mesmas, são destrinchadas de acordo com a "experiência" da menina. Como acima dito, sua sinceridade é ímpar.
O que surpreende neste enredo é a capacidade de Victor de colocar a cabeça confusa de uma pré-adolescente em pauta. Além de ser de sexo oposto ao do autor, Mathilda pertence a outra idade, a outra época e a uma situação bem adversa. Conseguir reunir tantas características e conectá-las de tal maneira é o que torna esta história surpreendente e muito criativa.
O andamento não se altera muito. Em poucas ocasiões (próximas ao final) se torna mais carregado, mas nada brusco. A constância permite que o leitor se concentre mais na menina que no mistério, diferencial deste livro.

Estrutura "Artística"
A personagem de costas e embaçada é pertinente, pois o leitor não sabe o que irá encontrar. Os cabelos vermelhos são a marca registrada de Mathilda.
A diagramação é muito boa e as letras são de um tamanho razoável, tornam a leitura adequada.
A sinopse cumpre bem o seu papel: parece entregar bastante, mas na verdade mostra apenas a "ponta do Iceberg". O que o livro traz é muito mais profundo que isto.
O enredo foi, como é fácil de se perceber, completamente planejado e revisado.

Estrutura Física (Materiais)
As páginas são de excelente qualidade e de cor amarelada, a leitura se torna mais agradável. O material de capa é muito resistente, sendo pouco suscetível a vincos e amassados.

Análise
Enredo (x2): 4,42
 • Espaço (x2): 4 (muito bom);
 • Tempo (x2): 5 (ótimo);
 • Personagens (x2): 5 (ótimas);
 • Criatividade (x1): 5 (ótima);
• Andamento do enredo (x2): 4 (muito bom);
• Início, meio e fim (x3): 4 (muito bom);

Estrutura Artística (x1): 4,78
 • Capa (x1): 5 (ótima);
 • Diagramação (x1): 5 (ótima);
 • Fontes (x2): 5 (ótimas);
 • Sinopse (x2): 4 (muito boa);
• Enredo (x3): 5 (ótimo);

Estrutura Física (x1): 5
• Capa (x1): 5 (ótima);
• Páginas (x2): 5 (ótima);


Nota final: [2*(4,42) + (4,78)*1 + (5)*1 ]/4= 4,65




Gostei da obra?
Gostei muito! Sou fã de livros mais elaborados (como todos sabem) e este foi uma deliciosa surpresa! É complexo e muito interessante. Já virei fã do Victor, com certeza vou querer ler mais livros dele. Apesar de Mathilda ser um pouco irritante em algumas partes, eu a entendi completamente. Já passei por este problema de infância x adolescência (todos nós passamos), mas não ao extremo como ela! Recomendo.

O Autor
VICTOR LODATO é dramaturgo e poeta. Recebeu o Guggenheim Fellowship e National Endowment for the Arts Fellowship. Suas peças ganharam diversos prêmios, entre eles o Kennedy Center Fund for New American Plays. Mathilda Savitch, seu primeiro romance, foi publicado em onze países. Lodato divide seu tempo entre Tucson, no Arizona, e Nova York.

Agradeço à Editora Intrínseca pelo exemplar.


ATENÇÃO: Este tipo de resenha é um teste. As próximas poderão ser tanto neste formato quanto no anterior. Qualquer dúvida, mande um e-mail.
Declaro que as imagens usadas acima não são de minha autoria, respeitando os direitos autorais dos verdadeiros criadores.


Share this:

COMENTÁRIOS

1 comentários:

  1. Ana!
    Interessante ver uma nova dinâmica para conflitos adolescentes.
    Sua resenha como sempre detalhista e primorosa, parabéns!
    Fiquei curiosa em poder ler o livro e já quero me tornar fã do Victoe também.

     

    Vim desejar alegria, felicidade e muito amor no coração!!


    Desejo uma ótima semana!


     “Crer, é tornar
    possível o impossível.”


    Carinho não tem preço, doe-se.


    Blogueiras Unidas 
    1275!


    Luz e paz!


    Cheirinhos        


    Rudy


    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com/

    ResponderExcluir