CONVITE + O Meme Literário de um Mês 2011 – Dia 13

Olá, queridos!
Antes de postar O Meme Literário de Um Mês de hoje, venho estender o convite que a fofa da Carol Estrella está fazendo!

"Queridos leitores,

DIA 18/10 àS 19H estarei na livraria da Vila ( Alameda Lorena) autografando meus livros junto com Luís Eduardo Matta, Graciela Mayrink e Julio Rocha.

Queria muitooo ver meus leitores por lá. Será meu 1º lançamento em Sp, então precisarei de forças e amigos por perto! ^^

Quem puder ajudar a divulgar ou a chamar parentes e amigos ficarei imensamente agradecida! :)

Livros lançados no dia:




Beijinhos,

Carol*"

Quero ver todos lá, hein? :D


DIA 13
Se você pudesse trocar de lugar com o personagem de um livro, qual seria? Que história dessa personagem você gostaria de viver?


Fonte: Dúvendor



Sem dúvida e sem pestanejar, eu trocaria de lugar com a Éowyn. Primeiro, porque ela é da raça dos homens (não adiantaria nada eu querer ser uma elfa, já que eles foram para as Terras Imortais há muitos séculos. É preciso conviver com o que nos foi passado), nossa herança. Segundo, porque é a mulher mais destemida que já ouvi falar, nunca encontrei uma personagem tão dona de si e tão bondosa para com seu povo. E o melhor: ela matou um Nazgûl, o aparentemente invencível Nazgûl, para proteger seu tio e amado Rei de Rohan, Théoden.
E ela (depois de um tempo em sofrimento nas Casas de Cura) se casa com o Faramir, o homem que eu acho mais digno de tudo na Saga O Senhor dos Anéis. Ele era estudioso e mesmo assim um bom guerreiro, sabia seu lugar, um exímio estrategista. Mesmo seu pai preferindo claramente o irmão mais velho, Boromir, ele sofreu muito com a morte do irmão e foi atrás do aparente assassino... Definitivamente, a Éowyn é uma mulher e tanto!

História da Éowyn (publicada no Site Dúvendor):


eowynDatas: nasceu em 2995 da 3ª Era, morte desconhecida
Raça: Homens
Cultura: Rohirrim
Família: Casa de Eorl
Outro nomes: Dernhelm
Títulos: Senhora de Rohan, Dama Branca de Rohan
Éowyn nasceu em 2995 da Terceira Era do Sol, no reino de Rohan. Ela era filha de Theodwyn, a amada e única irmã do Rei Théoden, e de Éomund, um dos grandes Marechais da Terra dos Cavaleiros. Éowyn também era a irmã mais nova de Éomer, que viria a se tornar o Terceiro Marechal da Terra dos Cavaleiros, e Rei de toda Rohan.
O pai de Éowyn odiava os orcs com tal força que mesmo entre os Rohirrim (que por natureza odiavam os orcs quase ao nascer) sua aversão era considerado fenomenal. Sempre que podia, ele saía para caçá-los pelas planícies de Rohan, e raras vezes voltava para casa sem ter conseguido chacinar um grupo de orcs. Em 3002 da Terceira Era Éomund atacou um grupo que orcs que estava atravessando suas terras, e devido a sua fúria fez o ataque com poucos homens e muito longe de qualquer ajuda possível, isso o levou para uma armadilha na qual foi morto.
Sua mãe, Theodwyn, tão chocada e abalada ficou com a notícia da morte de Éomund que morreu pouco depois. Assim, com os pais mortos e sem um destino certo no mundo, Éowyn foi levada para junto de Théoden, que era seu tio e também Rei de Rohan, e desde dia em diante ela e seu irmão passaram a viver sob a proteção do Rei no Palácio de Meduselt. Théoden não fazia distinção entre Éowyn e Éomer e tratava-os como se fossem seu próprios filhos, mas amava Éowyn de maneira especial, e ela em pouco tempo aprendeu a amá-lo como a seu próprio pai. O filho do Rei, Théodred (na época com 24 anos) recebeu bem seus primos e os tratou como irmãos mais novos, e uma grande amizade nasceu entre eles. Todavia ao crescer num ambiente tãfo masculino e tão militarizado quando Meduselt, Éowyn foi levada a crer que uma mulher poderia montar a cavalo e brandir uma espada tão bem quando um homem, fato que nunca escondeu de ninguém.
Ao longo dos anos Éowyn sempre estava ao lado do Rei Théoden, e assistiu com tristeza cada vez maior a decadência física e mental do Rei, e a cada vez maior influência que Gríma tinha sobre ele. O homem forte e orgulhoso que ela amava como um pai estava cada vez mais fraco, e isso a entristecia e fazia nascer em seu peito um ódio secreto, mas forte, contra os maus conselhos de Gríma, que ela via como o principal responsável pela decadência de Théoden.
Quando Gandalf veio a Edoras em 3018 da Terceira Era do Sol Éowyn tinha poucas esperanças de que algo iria mudar. Mas Gandalf curou o Rei de sua apatia, e lhe mostrou como o mundo caminhava a passos largos para a guerra contra Mordor. Théoden mandou que o exército dos Rohirrim fosse preparado, e deu a Regência do Reino de Rohan para Éowyn, e nisso demonstrou mais amor por ela do que em qualquer outro gesto, pois nunca antes uma mulher havia ocupado o posto de Regente em Rohan. O rei Théoden e o exército de Rohan foram para a fortaleza de Helm´s Deep esperar o ataque dos orcs. Éowyn nada teve a ver com essa batalha, pois estava ajudando o povo de Rohan a se esconder dos orcs, todavia, os exércitos do oeste foram vitoriosos e os orcs dizimados.
Após essa batalha, Aragorn, Gimli e Legolas estavam a caminho das Sendas dos Mortos. Esse era um caminho que passava por dentro de montanhas numa longa viagem subterrânea, mas nunca era usado, pois os mortos o vigiavam. Neste ponto Éowyn já estava apaixonada por Aragorn, e quando Éowyn soube que ele desejava usar tal caminho tentou dissuadi-lo de todas as formas, mas foi inútil, e então implorou para os acompanhar, que também lhe foi negado. Éowyn sentia-se esquecida numa guerra de homens, onde ela mesma também queria sua parcela de glória.
Pouco depois, o Rei novamente ordenou a Éowyn que fosse a Regente e protegesse o povo durante sua ausência. Mas ela não seria deixada para trás uma terceira vez, e secretamente, vestida como um homem, Éowyn cavalgou com o exército de Rohan em direção a cidade cercada de Minas Tirith. Quando o exército de Rohan atacou as hordas de orcs, Éowyn estava entre eles, e lutou com bravura (mas anonimamente) até o momento que o Rei foi abatido. Um Nazgûl estava para atacar Théoden quando Éowyn se pôs entre eles, a criatura riu de sua valentia pois pensava tratar-se de um homem, mas quando Éowyn tirou seu capacete e revelou seu mulher, irrompeu em fúria e medo, pois uma antiga tradição diria que ele nunca poderia ser morto pela mão de um homem, e Éowyn não era um homem.
Éowyn matou o Nazgûl, mas caiu vítima ao hálito negro e ficou as portas da morte. Na verdade, tão mau era seu estado que os Rohirrim pensavam mesmo que ela havia morrido, e somente quando estava sendo levada para dentro de Minas Tirith é que perceberam que estava viva. Lá Éowyn foi levada para as casas de cura, mas seu estado piorava, pois além de ter sido seriamente ferida ela não tinha razão alguma para viver, não desejava voltar para Rohan e viver aprisionada em Meduselt, e não podia ter o amor de Aragorn e ser Rainha de Gondor, preferia então não lutar pela vida.

Foi Aragorn quem salvou a vida de Éowyn nas casas de cura. Mas ela (a princípio) pouca gratidão sentiu por isso, pois novamente estava presa num palácio sem poder sair para a guerra, e assistiu melancólica a partida dos exércitos do oeste para o portão de Morannon, em Mordor. Porém enquanto ela observava a partida dos exércitos, também era observada por outros olhos. Este era Faramir, Regente de Minas Tirith, que em pouco tempo apaixonou-se por Éowyn ainda nas casas de cura. Com o tempo ele soube curar seu coração e despertar nela novamente o desejo pela vida, e Éowyn sentiu a sombra se afastar para sempre de seu coração.
Após a Guerra do Anel Éowyn e Faramir se casaram. Em 3019 ela era conhecida no Reino de Gondor como “Senhora Branca de Rohan”, e passou a viver nas colinas de Emyn Arwen. Éowyn viveu como Princesa de Ithilien, amiga do Rei Elessar de Gondor. Não existem registros da sua morte ou de seus filhos que possa ter tido, e assim sua história chega ao fim. 

 Espero que tenham gostado. Para ler os outros dias do Meme, clique aqui.

Share this:

COMENTÁRIOS

9 comentários:

  1. Adoreii o post! :D
    Queria poder ir no lançamento dos livros, estou doida para comprar o "Garota apaixonada em apuros"! Mas infelizmente fica muito longe para mim... rsrs
    Mas vou torcer muito pela Carol!

    Abraços,
    http://leitorasanonimas.com

    ResponderExcluir
  2. infelizmente é meu horário de aula e não poderei comparecer =x só depois das 22 =x é bem pertinho...
    beijos
    boa sorte *_*
    queria conhecer vcs =(

    http://thislovebug.net/macchiato

    ResponderExcluir
  3. Ah, meu Deus! Seu livro?! Isso é perfeito! Pena que não sou de SP D:

    ResponderExcluir
  4. Olá, Leitoras!

    Ai, que bom que gostou! Fico muito feliz.
    Aaaah, que pena! Eu também não poderei comparecer - moro meio longe, isso é triste. Mas vamos todas torcer por ela, né? :D

    Abraços e obrigada por comentar!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Aymée!

    Tomara que dê tempo, viu? :D A Carol vai ficar muito feliz...

    Abraços e obrigada por comentar!

    ResponderExcluir
  6. Olá, Bruna!

    Quem dera! rs. Ainda não é o meu livro (atente para o AINDA, rs), é da Carol Estrella. É uma pena mesmo, mas outras oportunidades virão!

    Abraços e obrigada por comentar!

    ResponderExcluir
  7. Oi Carol,

    Obrigada pelo carinho de sempre viu?!

    Ficou ótimo o post! Eu sempre venho no seu blog escondida rsrsr fico quietinha! Mas vc já deve ter me visto participando de algumas promoções rssrs Suas resenhas são umas das melhores da blogosfera! Viu, gente! Mtu boas msm!!

    Bom, obrigada de novo por tudo! :)

    E quem sabe um dia não faço lançamento em Marilia rs

    Beijos,
    Carolina Estrella
    Twitter:@caestrella
    facebook: Carolina Estrella
    Blogs: www.garotaapaixonadaemapuros.blogspot.com
    www.romanceseleituras.com
    www.selobrasileiro.blogspot.com
    www.blogdaestrella.com
    www.escreverelegal.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Essa Éowyn parece ser bem forte mesmo!! Não sei quem eu queria ser.

    ResponderExcluir
  9. Eu gostaria muito de ir, mas infelizmente não moro perto, boa sorte quem pode ir!!
    Bjss *-*
    http://territoriodascompradorasdelivro.blogspot.com/

    ResponderExcluir