RESENHA: Infinito - Alyson Noël (Os Imortais #6)


Infinito
Título Original: Everlasting
Autor: Alyson Noël
Editora: Intrinseca
ISBN: 978-85-8057-069-4
Ano: 2011
Edição:
Palavras-chave: Literatura Estrangeira, Século XXI
Revisão: Leonardo Alves
Shirley Lima
Skoob

Sinopse: Após derrotarem seus inimigos mais temidos, Ever e Damen começam uma nova jornada para que ele se livre do veneno em seu corpo. Se encontrarem o antídoto, finalmente serão capazes de viver a paixão pela qual anseiam há séculos. A busca, porém, leva-os a um terreno desconhecido e pavoroso — as profundezas de Summerland. Lá, eles descobrirão a origem obscura e inimaginável de seu relacionamento e serão obrigados a encarar uma dolorosa verdade: o destino tem motivos para mantê-los separados. Agora, o futuro irá depender de uma única decisão, que poderá pôr em risco tudo o que eles têm. Inclusive a eternidade.

Espaço
Muda um pouco de acordo com a "caçada" de Ever e Damen.

• Caracterização: Não há do que reclamar das descrições da autora. Por muitos lugares serem "sobre-humanos", uma boa caracterização deles é fundamental para que o leitor se ambiente. Há um pouco de idealização nas paisagens também, o que reforça o tom sobrenatural da história.

Tempo
Quase não se modifica ao longo do enredo.

• Caracterização: Pode-se dizer que, para uma obra que trabalha a imortalidade, o tempo seja fator secundário. Neste caso, por se tratar de um problema sério e de outras variantes ao longo do enredo, o tempo é fator determinante; o ritmo da narrativa depende muito dele. A caracterização deixa um pouco a desejar neste "ritmo"; há momentos em que esta fluência cai drasticamente. Excetuando-se isto, o tempo terreno (dia, mês, ano, etc) mais é inferido pela observação do espaço do que por uma referência direta.

Personagens
Esta autora não leu, exatamente, os outros livros (embora saiba do que a história se trata com bastante detalhes para quem não leu o enredo) excetuando-se Para Sempre. É de se observar que a personalidade impulsiva da Ever que tanto a marcou no primeiro livro (e que de fato a torna um tanto enfadonha e a coloca na maioria das enrascadas) se transforma muito neste livro. É quase como se ela se tornasse mulher mesmo, mais adulta, ciente de suas responsabilidades. Outra inversão concreta é personalidade do Damen. Para ele, tudo se resume a isto: não deixar a Ever morrer virgem. Nem que para isto ele tenha de passar por tudo e por todos (neste caso, todos os problemas que eles teriam de enfrentar). As outras personagens são muito importantes para o desfecho do enredo, mas suas personalidades não se alteram de maneira significativa. Uma das explicações mais aguardadas e que a autora expõe com clareza é o porquê de Jude sempre atrapalhar os planos da Ever. Além disto, Miles mostra mais uma vez aquela sabedoria imensa que acumulou durante o tempo (no primeiro livro, ele é um tanto infantil, mas, por baixo daquele "capuz", percebe-se uma pessoa bem amadurecida para sua idade em muitos quesitos. Isto só se comprova em Infinito).
Sabine é uma personagem compreensível, mas, por ser muito teimosa, acaba se tornando enfadonha ao extremo. Ela é muito radical consigo mesma e com todos à sua volta.

Coerência entre espaço, tempo e personagens
Não há incoerências. Pode-se dizer que este seja o ponto perfeito do livro: por mais que as personagens sejam inconstantes ou que o ritmo da narrativa não tenha o "pique" que lhe seria característico, os três elementos se casam muito bem neste enredo.

Enredo
Narrado em 1ª pessoa do singular de forma onisciente. O estilo de narrativa da Ever traz ao leitor uma visão unilateral do mundo (exceto-se quando Damen "fala" na mente dela). Isto é proposital, mas esta descrição presente de "penso", "faço", "olho", etc é muito cansativa. Ao invés de se usar o tempo presente, a autora poderia ter descrito o livro no tempo passado. Tornaria a narrativa mais fluente e evitaria tamanha subjetividade que o enredo possui. Por mais que o narrador seja em 1ª pessoa, todo livro deve ter objetividade em algum ponto: no caso de Infinito, principalmente pelo estilo narrativo de Ever, esta objetividade é quase nula. Só pode ser observada, mesmo, se um balanço dos acontecimentos for feito fora da história, e ainda assim depois de ter-se lido.


Capa
É a mais bonita de todas. As capas dos outros livros são agradáveis, um pouco confusas (como a 1ª e 5ª - confusas no sentido de conterem informações demais, como cores e luminosidade), mas esta supera as expectativas: é simples (demonstra as personagens principais e as flores, uma das características mais marcantes do amor entre elas), sem luminosidade extrema (dá um tom cálido e delicado à cena) e com cores exatas (o contraste entre o preto, o rosa e o lilás é muito marcante). Sintetizando: a capa é magnífica!

Sinopse
É uma sinopse que instiga principalmente aqueles que já leram os outros livros (e conhecem tudo por que Damen e Ever passaram). Sucinta, mas bem informativa.

Estrutura física
O material da capa é bem gostoso, embora amasse e marque com uma facilidade estupenda; entretanto, faz com que a lombada seja aberta com maciez, proporcionando uma leitura muito mais agradável. O tamanho das letras e a disposição dos capítulos também é boa. Tem um cheiro que não chega a ser perfume, mas que é agradável ao olfato.

Gostou da obra?
Mesmo querendo esganar o Damen com as próprias mãos (eu o detestei desde o primeiro momento em que o vi - aquela mania de distribuir flores me deixa nos nervos! rs), eu confesso que a leitura me foi agradável. Não é um livro a que eu me referiria com extremo prazer ou empolgação, até porque a história é um tanto morna em muitos momentos, mas ainda assim é uma leitura que não posso considerar ruim. É o final de um ciclo e, apesar de todos os defeitinhos citados acima, a transformação da Ever foi completa. Além disto, a autora explicou muitas coisas e fechou a história com bastante habilidade. É uma pena que o enredo anterior a este não seja tão interessante. A temática me instigou muito, mas não fui surpreendida pela autora (exceto nas partes que já mencionei). Sem falar neste mocinho irritante (desculpem-me!). Confesso que também fiquei surpresa pela Haven, mas já imaginava que seria assim. E o Miles? Sou fã número um dele! Outra personagem que eu adoro é a Riley. Mal posso esperar para ler "Radiante"!

Avaliação
- Enredo: 8
- Capa: 10
- Caracterização das personagens e entrosamento entre as mesmas: 5
- Caracterização do tempo e espaço e coerência entre os mesmos: 8
- Aspectos gramaticais: 10
- Sinopse: 8
- Estrutura física: 7

Nota: 8



Recomendações
A todos que já leram a série. Aos que não leram ainda, recomendo ler na ordem.

A Autora
Ela foi criada em Orange County, com a participação de Richard Nixon Elementary School por dois anos. Viveu em Mykonos, na Grécia depois de sair do ensino médio. Depois, ela se mudou para Manhattan, Nova Iorque, onde trabalhou como assistente de vôo para uma grande companhia aérea. Ela vive agora em Laguna Beach, Califórnia. Ela teve vários empregos, como babá, balconista da loja de departamento de vendas, assistente administrativo, gerente de escritório, fabricante de joalharia, t-shirt pintor, recepcionista do hotel front desk, assistente de vôo, e agora é um autor. Ela passou a maior parte de seu tempo livre, viajar e ficar longe do estilo de vida suburbano. Ela foi inspirada a se tornar um autor depois de ler Are You There God? It's Me, Maragret por Judy Blume na sexta série. Seu primeiro livro foi o romance para jovens adultos Faking 19, que explora o estilo de vida dos adolescentes de hoje.





Share this:

COMENTÁRIOS

7 comentários:

  1. Olá, sou a Camila do blog Sonhos entre Pontinhos, autora do Book Tour: Literatura nacional eu apoio, te mandarei um email com as regras e o formulário para preencher! =)
    Tudo bem?
    Beijos, Mila ♥

    @Camilla_Leitte
    http://sonhosentrepontinhos.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Haha Ana, só vc. Eu até que gostei do livro, achei fofinho, apesar de tb não gostar muito de sobrenaturalidades.

    Adorei a postagem!!

    Bjs, Babi
    http://a-viajante-dos-livros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Li o primeiro livro e gostei. Talvez eu continue a ler a série.
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Eu li os 3 primeiros livros e não consegui continuar, porque na minha opinião, a qualidade deles reduziu muito.

    Mas eu estou criando coragem para terminar a série, porque não consigo começar a ler algo e não terminar KKKK

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Parece ser legal. Tá na lista.
    Bjus, Maria.

    ResponderExcluir
  6. Li apenas o primeiro livro e não gostei muito não.
    Bjos, Carol.

    ResponderExcluir
  7. Ainda não li nenhum da série. Pra falar a verdade não tenho muita vontade de ler não. Falam q essa série é bem irregular.

    ResponderExcluir