RESENHA: Lonely Hearts Club - Porque ninguém precisa de um namorado para ser feliz - Elizabeth Eulberg



LONELY HEARTS CLUB -  Porque ninguém precisa de um namorado para ser feliz
Autora: Elizabeth Eulberg
Ano: 2011
ISBN: 9788580570496
Editora: Intrínseca
Skoob


Sinopse: "Penny Lane Bloom cansou de tentar, cansou de ser magoada e decidiu: homens são o inimigo. Exceto, claro, os únicos quatro caras que nunca decepcionam uma garota — John, Paul, George e Ringo. E foi justamente nos Beatles que ela encontrou uma resposta à altura de sua indignação: Penny é fundadora e única afiliada do Lonely Hearts Club — o lugar certo para uma mulher que não precisa de namorados idiotas para ser feliz. Lá, ela sempre estará em primeiro lugar, e eles não são nem um pouco bem-vindos. O clube, é claro, vira o centro das atenções na escola McKinley. Penny, ao que tudo indica, não é a única aluna farta de ver as amigas mudarem completamente (quase sempre, para pior) só para agradar aos namorados, e de constatar que eles, na verdade, não estão nem aí. Agora, todas querem fazer parte do Lonely Hearts Club, e Penny é idolatrada por dezenas de meninas que não querem enxergar um namorado nem a quilômetros de distância. Jamais. Seja quem for. Mas será, realmente, que nenhum carinha vale a pena? “Leitura imperdível para qualquer pessoa que já esteve apaixonada... ou que jurou nunca mais fazer isso de novo.” Stephenie Meyer, autora de Crepúsculo.

Introdução
Em Lonely Hearts Club, Penny Lane, ferida por uma grande desilusão, decide que nunca mais namorará o inimigo, ou seja, os homens. E nada melhor para isso do que formar o clube de uma pessoa só, certo? É assim, em alusão à canção Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, que nasce uma profunda amizade entre as meninas que se juntarão ao grupo de garotas magoadas e muitas vezes usadas pela população masculina da escola McKinley.


Estrutura
O livro conta com referências diretas aos Beatles. A capa é uma alusão direta ao álbum Abbey Road, 12º disco da banda, com o diferencial de que as garotas atravessam a faixa (já que as mesmas são o foco principal do livro).
Conta também com trinta e oito capítulos, e a cada bloco destes, de acordo com o humor de Penny e os acontecimentos que se seguirão, há uma música que os tematiza.
O nome da personagem principal, Penny Lane, também é uma referência à canção de mesmo nome. Seus pais, é importante ressaltar, são fãs incondicionais da banda inglesa, e toda a vida de Penny gira em torno de Paul, Ringo, George e John: os únicos garotos que jamais magoaram uma garota (pelo menos, não na contemporaneidade).
Narrado de forma onisciente, com o foco na primeira pessoa do singular, o livro é intimista e de algum modo consegue imprimir sensações ao leitor, de acordo com as visões da personagem principal em relação aos acontecimentos. De certo modo, é um livro relativamente curto e de fácil leitura.


AVISO: Caso queira ler o Resumo COMPLETO do livro (spoiler), clique no botão "CONTEÚDO" abaixo.

Análise
O livro prometia muito, e em partes cumpriu. A valorização das meninas do colégio, a percepção do que os garotos faziam delas e o passar disto ao leitor foram rigorosamente cumpridos. No entanto, é importante ressaltar alguns pontos em que a história deixou a desejar. Por exemplo, apesar da maturidade do grupo e da ideia, Penny ainda se portava como uma garota apaixonada, pronta para largar o grupo. Segundo, com a iminência de traição por parte de uma das personagens, ela foi muito benevolente, o que forçou a situação com Ryan. Em terceiro, as personagens são tão norte americanizadas (o que é natural, dado o lugar onde a história se desenrola. O problema é conseguir imaginar tal situação) e tão superficiais, sem explorações mais intensas e profundas, o que, pelo debate que o livro propõe, deveria ter acontecido. Além disso, o orgulho facilmente ferido das personagens como Ryan e Penny, além da reviravolta que ela tem com Nate são bem forçadas e travam a leitura em muitos momentos. O "quase-final", ou seja, o penúltimo capítulo é surpreendente pelas sensações provocadas e os acontecimentos, o que terminaria o livro em grande estilo e conta; o último capítulo e final, entretanto, foi tão clichê que minou toda a emoção deste término de leitura, minguando a sensação que traria ao livro uma classificação melhor.

Avaliação:
- Nota de Capa: 8
- Nota de Enredo: 6
- Nota de Coerência e Coesão: 5
- Nota de Gramática: 7
- Nota de caracterização das personagens e ambientação da história: 6
- Nota do Final: 5
- Nota da Tradução: 4

Nota: 5,8



Recomendações
Aos que apreciem literatura norte americana, bem enlatada, ao estilo da maioria dos livros da atualidade, e romances aguados com muito açúcar (embora, quimicamente, isto seja improvável; a não são que o solvente seja relativamente suficiente para uma solução insaturada).

A Autora
Elizabeth Eulberg nasceu e cresceu em Wisconsin, antes de fazer uma carreira em New York City nos negócios dos livros. Ela mora fora de Manhattan com suas três guitarras, dois teclados e uma baqueta.








Share this:

COMENTÁRIOS

7 comentários:

  1. Olá, gostei da sua avaliação apesar de que para mim o livro foi bem melhor, por que é como eu penso, por mais que um escritor escreva aquilo que gosta, nem sempre ele deve seguir essa linha e precisa fazer o que muitos fazem e já vimos que eles fazem, que é dá o que a MAIORIA espera, por mais desagradável que seja para outros, e cá entre nós grande parcela das leitoras são românticas bobas, perdão por essa parte, mas é a dura verdade e nessa parte que as pessoas erram, elas não leem pelo prazer de ler, mas para manter a ilusão dos contos de fadas.
    Beijos
    Dudiinha
    Segredos do Coração

    ResponderExcluir
  2. quero ler, principalmente por parecer fofo e por super bem elogiado! Apesar que nao entendi sua classificação, muito louca, mas se é ruim, quero ler igual, precisando de açucar heheh

    ResponderExcluir
  3. Gostei da sua resenha! Realmente, a história é bem superficial e clichê... O Clube não foi levado a sério, o que eu já sabia que ia acontecer, por que né? Mas gostei bastante do livro, bem leve, divertido e água com açúcar.

    xx thanny in wonderland

    ResponderExcluir
  4. Primeira resenha negativa que leio sobre este livro. Todos os outros comentários em relação a ele são sempre muito positivos.

    De qualquer forma, continuo com muita vontade de lê-lo. Embora seja meio adolescente, parece ser interessante. Aliás, qualquer coisa relacionada aos Beatles me interessa muito, hehe. =D

    ResponderExcluir
  5. A única coisa que me chama atenção nesse livro, são as referências aos Beatles. Quando li numa resenha que o livro não focava tanto no grupo (o que não podia ser de outra maneira, já que não é sobre a banda) desisti, rs. Procuro me manter sempre bem longe de romances adolescentes, porque já sei que não vou gostar. Ainda assim tem uns que se salvam, o que não parece ser o caso agora.

    Beijo e parabéns pelas ótimas resenhas ^-^

    Bruna Andrade,
    allstarejeans.blogspot.com
    cacotopico.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito da resenha!!!
    Quero ler.
    Bjus, Maria.

    ResponderExcluir
  7. Concordo, o título já diz tudo.
    Adorei. Bjos, Carol.

    ResponderExcluir