RESENHA: A Casa Torta - Agatha Christie

A CASA TORTA (Crooked house)
Autora: Agatha Christie
Editora: Nova Fronteira
Ano: 1948
Edição: 13ª
Páginas: 240
Revisão: A. Tavares
Tradução: Carmen Ballot
Skoob

Sinopse: O octogenário Aristide Leonides, dono de grande fortuna, é envenenado em sua mansão, onde vivia com toda a família — sua esposa, cinqüenta anos mais jovem, dois filhos, duas noras, três netos e uma cunhada. Qualquer um poderia tê-lo matado. O único motivo evidente é a fortuna deixada como herança. Mas parece pouco provável que alguém se dispusesse a sujar as mãos por causa do testamento de um velho em idade já tão avançada. Charles Hayward não tem como não se envolver na história: Sir Arthur Hayward, seu pai, é o comissário-assistente da Scotland Yard responsável pelo caso; e Sophia, com quem pretende se casar, é uma das netas da vítima. Portanto, Charles tem seus motivos para tentar solucionar o mistério.

Espaço
A história se passa primeiramente no Egito durante a II Guerra Mundial. Posteriormente, a narrativa se transfere para Swinly Dean (subúrbio de Londres), onde o cenário principal é "Três Oitões", a casa torta de Aristide Leonides.

• Caracterização: Por se tratar de literatura inglesa de época, alguns aspectos arquitetônicos e organizacionais são confusos tanto em uma leitura desatenta quanto em uma minuciosa. Uma falha da Editora (que poderia fornecer notas de rodapé explicativas). Há vários momentos de branco visual.

Tempo
A história se ambienta anos após o fim da II Guerra Mundial.

• Caracterização: Não há referências diretas ao ano em que a história se passa, apenas indicações como o encontro no Egito, datas de documentos e acontecimentos históricos.

Personagens
As personagens são superficiais e complexas de acordo com o evento, já que todas são suspeitas. Não há distinção entre personagens principais e secundárias, o que colabora com o suspense.

Coerência entre tempo, espaço e personagens
A relação entre os 3 elementos é muito coerente e natural. Há perfeita harmonia entre os três principalmente em quesitos arquitetônicos.

Narrador
1ª pessoa do singular, onisciente, sob a perspectiva de Charles Hayward. Logo, é uma perspectiva limitada e subjetiva, encaminhando a visão e conclusão do leitor para o redemoinho de ideias do próprio narrador.

Conteúdo
Charles Hayward conheceu Sophia Leonides no Egito durante a II Guerra. Apaixonados, mas decididos a esperar o desespero do confronto passar, eles se reencontram anos depois em Londres. Um novo empecilho para o casal surge - o assassinato do avô de Sophia. As evidências - ou a falta delas - põem todos da família sob suspeita: inclusive a própria Sophia.

Estrutura
"A Casa Torta" é dividido em 26 capítulos, cada qual com novas deduções. O título faz alusão a uma música de ninar inglesa de mesmo nome (o que é muito oportuno para a história). A capa desta edição poderia ser melhor trabalhada: uma sucessão de imagens sem nexo entre si não representa nada bem o enredo.

Vocabulário
As regras de concordância e regência foram sumariamente respeitadas, um excelente ponto para a tradução.

Quotes
Os trechos abaixo foram selecionados pela carga reflexiva que contêm.

"Era uma vez um homem torto que andou por uma estrada torta
E achou uma moeda torta junto a uma porteira torta
Ele tinha um gato torto que caçou um rato torto
E viveram todos juntos numa casinha torta. "
Capítulo 3, página 19, 11º parágrafo.

"Mas Sophia não tinha certeza, eu não tinha certeza e creio que o Inspetor-Chefe Taverner tampouco tinha certeza..."
Capítulo 3, página 20, 6º parágrafo.

Avaliação
- Enredo: 7
- Capa: 5
- Caracterização das personagens e entrosamento entre as mesmas: 8
- Caracterização do tempo e espaço e coerência entre os mesmos: 5
- Aspectos gramaticais: 10

Nota final: 7



Gostou da obra?
Confesso que poderia ter sido melhor. O mistério me intrigou até certo ponto. A partir daí, as conclusões diminuíram consideravelmente o andamento do livro para mim. O final deveria ser surpreendente - mas foi tão piegas que, para quem já estava desanimada, não acrescentou nada.

Recomendações
A todos que gostem de romances policiais e Agatha Christie; não é uma de suas obras-primas e tampouco uma grande obra de suspense. Se esperar muito, pode se decepcionar.

A Autora
Dame Agatha May Clarissa Mallowan (Torquay, 15 de Setembro de 1890 — Wallingford, 12 de Janeiro de 1976), mundialmente conhecida como Agatha Christie, foi uma romancista policial britânica, autora de mais de oitenta livros. Seus livros são dos mais traduzidos de todo o planeta, superados apenas pela Bíblia e pelas obras de Shakespeare, com mais de 400 milhões de cópias vendidas em diversas línguas.
Conhecida como Duquesa da Morte, Rainha do Crime, dentre outros títulos, criou os famosos personagens Hercule Poirot, Miss Marple, Tommy e Tuppence Beresford e Parker Pyne, entre outros.



Share this:

COMENTÁRIOS

20 comentários:

  1. Não conhecia este livro, mas li pouco de Agatha Christie até hoje!

    ResponderExcluir
  2. Confesso que não fui muito feliz a primeira vez que li Agatha Christie e isso me desmotivou a ler outras obras... Mas gostei da maneira que você nos apresentou essa obra (que ainda não li), trouxe todos os detalhes, colocou sua avaliação, mas não "entregou" a história, nos deixando na curiosidade...

    ResponderExcluir
  3. eu gosto muito de agatha, mas pelo que você disse, realmente, a casa torta nao tem muitos atributos de uma das grandes obras dela. resenha MUITO BOA. e adorei o novo layout! =**

    ResponderExcluir
  4. Nunca li nada da autora, e tenho até certa curiosidade para conhecer o estilo dela, mas com certeza não irei começar por este livro. Não depois de ter lido a sua resenha :P
    Pelo que parece, o enredo do livro é meio "perdido", o que atrapalha muito o entendimento do leitor. É uma pena, porque gostei bastante da sinopse.

    Abraços,
    http://leitorasanonimas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Sendo da Agatha, tenho que ler! Mesmo tendo obtido apenas 3 estrelas... um dia irei ler esse livro!

    ResponderExcluir
  6. Adoro a Agatha ,mas sua resenha mostra que esta não é uma das suas melhores obras.

    funhousesa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Gostei do novo visual do blog!
    Eu gosto de Agatha Christie, mas prefiro os livros do Poirot e da Miss Marple.
    Garota Eclética

    ResponderExcluir
  8. Olá, Paola!

    Olha, se eu fosse você não começava por este. Pode te decepcionar! Escolha um do Poirot, creio que vá ser a melhor escolha.

    Obrigada pela visita,
    Ana.

    ResponderExcluir
  9. Olá, Aline!

    Não devia deixar isso te desmotivar, viu? Já li alguns livros da Agatha e posso afirmar que varia MUITO! Tem obras que são sensacionais, e outras, como esta, que são monótonas. Vai do gosto do leitor!

    Obrigada pelas palavras e pela visita. Eu primo por uma resenha explicativa sem spoilers.

    Abraço,
    Ana.

    ResponderExcluir
  10. Olá, Samuely!

    É, infelizmente para mim. Eu só havia encontrado obras grandiosas, como Morte no Nilo, e médias, como Convite Para Um Homicídio. Nunca havia me decepcionado dessa maneira com Agatha. Mas todo escritor tem seus altos e baixos, certo?

    Obrigada pelas palavras. E um especial agradecimento à dica quanto ao layout. Por mim mesma, eu jamais teria mudado.

    Abraço,
    Ana.

    ResponderExcluir
  11. Olá, Leitoras!

    Nunca leu? Aproveite e leia. Eu aposto que irá gostar mesmo se pegar um livro como "A Casa Torta". Comece com um dos grandiosos, como os de Poirot e Miss Marple, sim?

    Obrigada pela visita e comentário.
    Ana.

    ResponderExcluir
  12. Olá, Mariana!

    Leia sim! Se já leu outros, pode ir com fé. Três estrelas não é ruim. É apenas... bom. Na média, sim? Sou rigorosa quanto à classificação.

    Obrigada pela visita e comentário,
    Ana.

    ResponderExcluir
  13. Olá, Chef!

    Com certeza não é. Eu entendi o que a Agatha quis fazer, mas o que era para ser o ponto alto não aconteceu, entende?

    Obrigada pela visita e comentário,
    Ana.

    ResponderExcluir
  14. Olá, Adriana!

    Que bom que gostou do novo visual! Algumas pessoas, como a Samuely, me ajudaram. Eu nem me toquei do quanto estava pesado! E eu já disse o quanto adoro este fundo? rs.
    Eu gosto mais do Poirot, embora a Miss Marple seja muito útil. Foi muito interessante ver os dois juntos em "Convite Para Um Homicídio".

    Obrigada pela visita e comentário,
    Ana.

    ResponderExcluir
  15. Parabéns pelo bom gosto, Ana, imaginei que ia ver outro blog com resenhas de vampiro. Sir Connan Doyle é otimo, muito bom suspense, se você encontrar o Falcão Maltês (Dashiell Hammet) não deixe de ler, um dos melhores romances policiais que já vi, gênero em que ele é mestre. Escrevo contos, e todo dia posto um em http://contospromissores.blogspot.com , passe lá e leia algum(s). Boto também sugestões de músicas que separo para escutar, o bom e velho rock'n roll.
    É isso aí!

    ResponderExcluir
  16. É extremamente decepcionante para mim que eu nunca tenha lido Agatha Christie ): sou louca para ler os livros dela. Gosto muito de mistério e suspense como os do Sherlock Holmes e os livros do Sidney Sheldon :D

    ResponderExcluir
  17. Da Agatha Christie só li O Caso dos Dez Negrinhos. Tentei ler outro livro dela mas não consigui.
    Bjos, Carol.

    ResponderExcluir
  18. Da Agatha Christie só li O Caso dos Dez Negrinhos. Tentei ler outro livro dela mas não consigui.
    Bjos, Carol.

    ResponderExcluir
  19. Agatha Christie é Agatha Christie, e nunca vai mudar. Essa mulher era genial.
    Bjus

    ResponderExcluir
  20. Ainda não li nenhum livro da autora e pela resenha acho que esse não é um dos melhores.eheheh

    ResponderExcluir