Novas Editoras Parceiras: Intrínseca, Hedra, Fundamento, Landmark e LGE


É com muito orgulho que anuncio as nossas novas Editoras Parceiras!


                                           Editora Intrínseca                                               

INTRÍNSECA: JUVENTUDE E COMPETÊNCIA EDITORIAL

Uma editora jovem, não só na idade — afinal foi fundada em dezembro de 2003 — mas no espírito inovador de optar pela publicação de ficção e não ficção priorizando a qualidade, e não a quantidade de lançamentos. Essa é a marca da Intrínseca, cujo catálogo reúne títulos cuidadosamente selecionados, dotados de uma vocação rara: conjugar valor literário e sucesso comercial.

Com uma apurada seleção de títulos, vários livros alcançam um expressivo número de leitores, figurando em listas de best-sellers por muitos meses, obtendo assim uma incomum unanimidade de elogios por parte do público, da crítica e do mercado. À bem cuidada curadoria editorial alia-se o apuro na produção gráfica, o que transforma as edições em objetos de culto a serviço da boa literatura.

A menina que roubava livros, do autor australiano Markus Zusak, é exemplo desse esmero da Intrínseca em sua produção editorial. Além de ser eleito “O livro do ano” pelo jornal O Globo, em 2007, A menina que roubava livros esteve em primeiro lugar da lista de best-sellers por mais de um ano, vendendo mais de um milhão de exemplares, e se mantém entre os dez mais vendidos do país.

Com a publicação da série Crepúsculo, da escritora norte-americana Stephenie Meyer, em abril de 2008, a Intrínseca concretizou no Brasil um fenômeno mundial iniciado nos Estados Unidos e replicado em mais de 40 países. Desde o lançamento, os quatro livros de Crepúsculo e o spin off A breve segunda vida de Bree Tanner: Uma história de Eclipse figuraram nas listas de mais vendidos. A série, que já teve mais de 5,5 milhões exemplares comercializados, mobiliza dezenas de fãs-clubes organizados além de uma legião nacional de leitores que atuam como multiplicadores do encantamento produzido pela história de Isabella Swan e Edward Cullen em sites, comunidades virtuais e eventos apoiados pela editora.

A orientação editorial privilegia temas e estilos que se destacam pela diferença, ousadia e impacto. Não foi à toa que o título de estréia da Intrínseca, HELL - Paris 75016, de Lolita Pille, figurou na lista de mais vendidos do Brasil por várias semanas. Publicado em dezembro de 2003, o relato da escritora francesa que chocou ao retratar a geração parisiense de “patricinhas Gucci-Prada” virou polêmica e recebeu destaque da mídia.

A Intrínseca tem em seu catálogo, hoje, noventa livros, sendo três deles entre os dez mais vendidos do país. Inclui autores como James Lovelock (A vingança de Gaia e Gaia: Alerta final); Lionel Shriver (Precisamos falar sobre o Kevin e O mundo pós-aniversário); Michael Pollan (Regras da comida, O dilema do onívoro e Em defesa da comida), Ben Mezrich (Bilionários por acaso: a criação do Facebook, uma história de sexo, dinheiro, genialidade e traição), Chris Cleave (Pequena abelha) e os ganhadores do Prêmio Pulitzer, Frank McCourt (Ei professor! e Ângela e o Menino Jesus) e Anne Proulx (O segredo de Brokeback Mountain). Temos como foco o valor intrínseco do livro – a sua inestimável importância cultural, com o objetivo de guardar, de uma forma diferenciada, um universo particular em cada título publicado.

Missão
Temos como foco, o valor intrínseco do livro – a sua inestimável importância cultural, com o objetivo de guardar, de uma forma diferenciada, um universo particular em cada título publicado.

Livros que a Editora Intrínseca já publicou


                                            Editora Hedra                                                      

Como editores da Hedra à frente de um projeto de mais de dez anos, queremos que os nossos leitores nos conheçam pelo cuidado que temos com a edição de livros de literatura e filosofia, e saibam que ultimamente o que mais desejamos é fazer livros baratos, para chegar às mãos de um público cada vez maior.

Por isso nos mobilizamos integralmente para fazer a Coleção de Bolso_Hedra, que em três anos já conta com cerca de setenta títulos, na qual incluímos além de obras clássicas, também aquelas que gostaríamos que fossem reconhecidas. Nela publicamos Iracema, de José de Alencar e também sua obra mais desconhecida, Cartas a favor da escravidão, ou o Retrato de Dorian Gray, de Wilde, ao lado do pouquíssimo lembrado romance homoerótico Teleny ou o reverso da medalha, atribuído ao autor.

Entre os principais lançamentos destacam-se a obra do padre seiscentista, Antonio Vieira, em três volumes e mais de 15 mil exemplares vendidos, e os cordéis de Patativa do Assaré, que venderam em torno de 80 mil exemplares, e fazem parte da Coleção Biblioteca de Cordel, com mais de vinte autores populares.

Publicamos também infanto-juvenis, como Lampião, de Klévisson Viana, hai-kais de Ademir Barbosa em O sapo voador, e Saga animal, de Índigo, entre muitos outros que circulam pelas escolas de todo o país.

Jorge Sallum, Iuri Pereira e Bruno Costa - editores

Livros que a Editora Hedra já publicou

                                       Editora Fundamento                                              


Missão e Valores
"Editar e produzir livros úteis na formação de conhecimento, de aplicação prática e que valorizem o crescimento humano."

Lançamento

CHERUB 02 - CLASSE A
ROBERT MUCHAMORE
ISBN: 9788539501571

Edição: 1
Peso: 0,42
Nº Paginas: 272
Formato: 158X230
Ano Edição: 2011


CHERUB é uma agência de espionagem.
Seus agentes têm entre 10 e 17 anos e costumam passar despercebidos no mundo dos adultos, que não veem uma criança ou adolescente como ameaça. Oficialmente, esses agentes não existem.
A "estreia" de James como um agente de CHERUB pode ter sido bem-sucedida, mas isso não quer dizer que a vida do garoto tenha se tornado mais fácil. O árduo treinamento físico continuou a fazer parte da rotina, assim como o complicado processo de adaptação às regras inflexíveis da agência.
Tanto esforço foi recompensado da melhor forma possível: ele recebeu uma segunda missão, muito maior do que a primeira. Sob a supervisão de dois agentes adultos, James e mais três agentes tinham que se aproximar dos filhos de Keith Moore - um dos maiores traficantes de cocaína da Inglaterra - e reunir informações que levassem à prisão do criminoso e ao fim de seu império.
Diante de tantos desafios, será que James estava preparado para tamanha responsabilidade? Ele conseguiria lidar com suas emoções e desempenhar seu papel sem que ninguém descobrisse sua verdadeira identidade? Caçar bandidos pode parecer emocionante na ficção, mas na vida real os riscos são grandes demais para se ter garantia de que todos vão escapar ilesos...
A série CHERUB é um sucesso entre jovens da Inglaterra, Estados Unidos, Portugal, Suécia e Japão, entre outros países. Você não pode perder esta aventura de tirar o fôlego!

                                          Editora Landmark                                               


A Editora Landmark vem desde sua criação desenvolvendo sua linha editorial com o intuito de trazer ao público-leitor brasileiro o acesso à boa literatura, seja ela nacional ou estrangeira. O compromisso e a visão da Editora Landmark estão alinhados com o propósito de ir ao encontro das necessidades de um mundo que rapidamente se transforma e com o propósito de nutrir os ideais de uma época de conscientização global.

A Editora Landmark tem como sua tarefa primordial a revelação de mensagens importantes através dos livros que publicam, na certeza de que são muitos e diferentes os caminhos que nos conduzem ao crescimento e que tornam o conhecimento acessível a todos os leitores. Deste modo, desde sua formação, a Editora Landmark desenvolve linhas editoriais, sempre com textos e imagens que se complementam através de projetos elaborados especialmente para oferecer ao leitor cultura, entretenimento e momentos de grande prazer.

Estas linhas desenvolvidas apresentam-se em ficção brasileira, ficção estrangeira, crítica literária, ensaios sobre História e Filosofia, análise e apresentação de textos originais sobre os principais formadores da Sociedade Brasileira. Apresenta também novas versões, sempre em edições bilíngues, para grandes textos e obras da literatura universal, ampliando com isso a oportunidade do público brasileiro no acesso a esses autores, procurando resgatar em suas obras, através de novas traduções, os grandes autores da literatura muitas vezes esquecidos ou deixados em segundo plano, mas essenciais na formação do espírito crítico de um país e de seu povo.

Deste modo, a Editora Landmark está criando dois novos selos editoriais – Landmark Digital e Artes & Música – o primeiro voltado para as novas tecnologias com lançamento simultâneo de seu catálogo em formato digital e o segundo voltado para a divulgação de teses e dissertações acadêmicas, bem como para o resgate de títulos e da produção intelectual das áreas que envolvam as áreas musicais e das ciências humanas, sociais e artísticas nacionais. Esses materiais, que por força da restrição de certas linhas editoriais e pelos custos envolvidos não possuem possibilidade de atingir o grande público, estarão sendo lançados apostando-se em novas tecnologias para a divulgação dessa produção.

Lançamentos

EDITORA LANDMARK LANÇA “O CORAÇÃO DAS TREVAS” - CONSIDERADA PELA CRÍTICA ESPECIALIZADA INTERNACIONAL COMO UMA DAS 100 MAIS IMPORTANTES OBRAS DA LITERATURA MUNDIAL E PARTE
DO CÂNONE OCIDENTAL.

O CORAÇÃO DAS TREVAS é um romance escrito pelo escrito anglo-polonês Joseph Conrad. Antes de sua publicação em 1902, apareceu como uma série em três partes, publicado na Blackwood Edinburgh Magazine entre fevereiro e abril de 1899. É amplamente considerada pela crítica especializada internacional como uma das 100 mais importantes obras da literatura mundial e inglesa do século XX e parte do cânone ocidental.
A história trata das experiências do aventureiro Charles Marlow, um inglês que obteve uma posição junto a uma companhia de comércio belga como capitão de um barco fluvial a vapor nos territórios das colônias da África. Embora Joseph Conrad não identifique qual rio localizado no Estado Livre do Congo (à época uma colônia propriedade privada do rei Leopoldo II da Bélgica), provavelmente trata-se do grande e importante rio Congo. Marlow é contratado para transportar marfim rio abaixo. No entanto, a sua tarefa mais urgente é procurar e descobrir o paradeiro do senhor Kurtz, um dos mais famosos administradores dos entrepostos da colônia, cujo paradeiro e destino é ignorado por todos.
Joseph Conrad construiu uma narrativa simbólica com uma história dentro da própria história, ou uma narrativa moldura: Marlow conta a um grupo de amigos a bordo de um navio ancorado no estuário do rio Tâmisa, desde o anoitecer até o nascer do sol do dia seguinte, sua aventura congolesa. A passagem do tempo e o céu escurecido de um pôr-do-sol sobre Londres, enquadram a atmosfera densa e pesada da história dentro da história.
O CORAÇÃO DAS TREVAS serviu como história base para a produção de Francis Ford Coppola - Apocalipse Now - de 1979. O filme, famoso pela atuação de Marlon Brando como Kurtz, transpôs a história da região do Congo Belga para o Vietman durante os conflitos entre os Estados Unidos da América e as forças socialistas do então Vietman do Norte.
O lançamento de O CORAÇÃO DAS TREVAS pela EDITORA LANDMARK apresenta pela primeira vez esta magnífica e importante obra de Joseph Conrad em uma inédita edição bilíngue, resgatando toda a magnificência de uma das maiores obras da literatura ocidental.

JOSEPH CONRAD nasceu em 1857 numa família de patriotas empenhados em libertar a
Polônia do domínio russo. Acompanhando o exílio de seus pais, teve seu primeiro contato
com a língua inglesa enquanto seu pai traduzia autores ingleses. Antes de completar 12
anos, ficou órfão. Adolescente, entediou-se com a escola e escolheu a vida no mar. Aos 17
anos tornou-se marinheiro em Marselha, França. Em 1878, mudou-se para a Inglaterra,
onde seguiu carreira na Marinha e ganhou cidadania inglesa com o nome de Joseph
Conrad. Publica seu primeiro livro aos 38 anos, quando se aposenta da Marinha. Em 1902,
publica a novela O CORAÇÃO DAS TREVAS, em que narra o drama da destruição moral da
Europa colonialista. É considerado um dos maiores estilistas da prosa inglesa. Entre seus
principais livros estão: LORDE JIM (1900), NOSTROMO (1904), O AGENTE SECRETO (1907) e
SOB OS OLHOS OCIDENTAIS (1911). Joseph Conrad morreu em 1924, na Inglaterra.

EDITORA LANDMARK LANÇA BOX ESPECIAL COM AS SEIS GRANDES OBRAS DA MAIS IMPORTANTE ESCRITORA
INGLESA EM PRIMOROSAS EDIÇÕES BILÍNGUES.

RAZÃO E SENSIBILIDADE foi o primeiro dos romances de Jane Austen a ser publicado, em 1811. O enredo, embora simples, não deixa de ser profundo e questionador: a história se estrutura em torno das irmãs Dashwood que ficam desamparadas com a morte do pai; sem dotes a serem oferecidos, elas têm poucas oportunidades de conseguir um bom casamento, mas a grandeza de seus sentimentos se revela importante contra a hipocrisia da sociedade preocupada apenas com as aparências.

Considerado a obra-prima de Jane Austen, ORGULHO E PRECONCEITO, já em seu início, demonstra o desenrolar da trama: a autora menciona que um homem solteiro e possuidor de grande fortuna deve ser o desejo de qualquer esposa. Com esta citação, Jane Austen faz três referências importantes: declara que o foco serão os relacionamentos e os casamentos, dá um tom de humor à obra ao falar sobre um tema comum da sociedade inglesa do século 18 e 19 e prepara o leitor para a caçada de um marido em busca da esposa ideal e de uma mulher perseguindo pretendentes.

MANSFIELD PARK é o trabalho mais autobiográfico de Jane Austen, refletindo o mundo de pretendentes religiosos e proprietários de terra, das caçadoras de maridos, dos esnobes e dos tolos do interior, no qual a escritora viveu e procurou o amor. Entretanto, o texto parece entrar em conflito com as tradicionais heroínas e o tema corrente de Jane Austen (pelo viés social), fato que tem aturdido por décadas os críticos da autora.

EMMA é um dos grandes romances de Jane Austen, publicado pela primeira vez em 1815. A protagonista da história é a primeira heroína criada por Jane Austen sem problemas financeiros, sendo que a mesma declara que isto é uma das razões de ela não se preocupar com casamento. Assim como em seus outros romances, Jane Austen relata as dificuldades das mulheres no início do século 19, criando, através de seus personagens, uma deliciosa comédia de costumes.

A ABADIA DE NORTHANGER foi publicado em dezembro de 1817, em conjunto com “Persuasão”, apesar de ter sido escrito em 1798. A obra transparece toda a habilidade da autora em criticar socialmente seu tempo por meio de análises morais de seus personagens. Com boa dose de senso de humor, os excessos que beiram o ridículo dos romances góticos são criticados de forma cotidiana e plausível, um feito que, entre inúmeras razões, torna a autora uma das mais importantes e lidas por todo mundo.

PERSUASÃO é o último romance completo escrito por Jane Austen, sendo publicado
postumamente em 1818 e é amplamente apreciado como uma simpática história de
amor, de trama simples e bem elaborada, e exemplifica o estilo de narrativa irônica de
Jane Austen, sendo original por diversos motivos, entre eles, pelo fato de ser uma das
poucas histórias da escritora que não apresenta a heroína em plena juventude.

A nova coleção em edição bilíngue lançada pela EDITORA LANDMARK resgata todas as
minúcias das obras de Jane Austen, a crítica social de sua época aos costumes e a
padrão de vida inglesa, apresentando corretamente a ironia e o sarcasmo de seu estilo.

JANE AUSTEN (1775-1817), escritora inglesa proeminente, considerada geralmente
como a segunda figura mais importante da literatura inglesa depois de Shakespeare e
Oscar Wilde. Ela representa o exemplo de escritora, cuja vida, protegida e recatada, em
nada reduziu a estatura, a qualidade e o dramatismo de sua ficção. A fama de Jane
Austen perdura através dos seus seis melhores trabalhos: “Razão e Sensibilidade”
(1811), “Orgulho e Preconceito” (1813), “Mansfield Park” (1814), “Emma” (1815),
“Persuasão” (1818) e “A Abadia de Northanger” (1818), estes últimos publicados
postumamente.


EDITORA LANDMARK PUBLICA A VERSÃO ORIGINAL DE 1890 DE “O RETRATO DE DORIAN GRAY - THE PICTURE OF DORIAN GRAY” DE OSCAR WILDE COM TRADUÇÃO INÉDITA E EM EDIÇÃO BILÍNGUE, EM CONJUNTO
COM O LANÇAMENTO DO FILME HOMÔNIMO “DORIAN GRAY” NOS CINEMAS DE TODO O BRASIL

A Editora Landmark, especializada em grandes clássicos bilíngues da literatura mundial, após os grandes sucessos JANE EYRE, de Charlotte Brontë, ORGULHO E PRECONCEITO, de Jane Austen, NORTE E SUL, de Elizabeth Gaskell e O AGENTE SECRETO, de Joseph Conrad, lança O RETRATO DE DORIAN GRAY, de Oscar Wilde.
Oscar Wilde, um dos maiores nomes da literatura do século 19, publicou inicialmente O RETRATO DE DORIAN GRAY no periódico norte-americano Lippincott’s Monthly Magazine, em 20 de junho de 1890. Esta versão original é o lançamento que a EDITORA LANDMARK promove junto aos seus leitores, em uma edição bilíngue com os 13 capítulos originais publicados pela revista norte-americana, sem as alterações posteriores de 1891, que a editora Inglesa Ward, Lock and Company exigiu para lançá-lo no mercado britânico. Essas exigências e modificações deveriam suavizar a trama, abrandar a influência negativa de Lorde Henry e moderar o relacionamento de Gray com os demais personagens, constituindo assim uma segunda versão mais amena.
Dorian Gray é um belo e ingênuo rapaz retratado pelo artista Basil Hallward em uma pintura. Mais do que um mero modelo, Dorian Gray torna-se inspiração a Basil em diversas outras obras. Devido ao fato de todo seu íntimo estar exposto em sua obra prima, Basil não divulga a pintura e decide presentear Dorian Gray com o quadro. Com a convivência junto a Lorde Henry Wotton, um cínico e hedonista aristocrata muito amigo de Basil, Dorian Gray é seduzido ao mundo da beleza e dos prazeres imediatos e irresponsáveis, espírito que foi intensificado após, finalmente, conferir seu retrato pronto e apaixonar-se por si mesmo. A partir de então, o aprendiz Dorian Gray supera seu mestre e cada vez mais se entrega à superficialidade e ao egoísmo. O belo rapaz, ao contrário da natureza humana, misteriosamente preserva seus sinais físicos de juventude enquanto os demais envelhecem e sofrem com as marcas da idade. O desfecho da história é surpreendente, cujo segredo está n’O RETRATO DE DORIAN GRAY. O clássico despertou grande polêmica na Inglaterra
vitoriana pelo comportamento indiferente, pelo Esteticismo como principal tema e pela dualidade do personagem principal, hedonista e conservador, que frequenta tranquilamente reuniões da alta sociedade inglesa após cometer inúmeros crimes e assassinatos.
Em 2009, as telas de cinema em todo mundo receberam uma nova versão de O RETRATO DE DORIAN GRAY, dirigido por Oliver Parker e estrelado por BEN BARNES (AS CRÔNICAS DE NÁRNIA, O PRÍNCIPE CASPIAN), o vencedor do Oscar de Melhor Ator em 2011 COLIN FIRTH (O DISCURSO DO REI e O DIÁRIO DE BRIDGET JONES), RACHEL HURD-WOOD (PERFUME: A HISTÓRIA DE UM ASSASSINO) e BEN CHAPLIN (ALÉM DA LINHA VERMELHA) e o lançamento nas telas brasileiras em março de 2011 através da Europa Filmes.

A nova edição bilíngue lançada pela EDITORA LANDMARK resgata a obra em sua forma
original e oferece ao público a versão de 1890, mais densa, explícita e polêmica do
romance de Wilde.

OSCAR WILDE (1854-1900): Nasceu em Dublin, Irlanda, filho do médico William Wilde e
da poetisa Jane Francesca Wilde e cresceu em um ambiente artístico e intelectual. Estudou
em Oxford, onde se deparou com a corrente da arte pela arte e tornou-se um dos principais
expoentes do movimento artístico do Esteticismo. Oscar Wilde possui um conjunto de obras
bastante rico e extenso, composto por contos (CONTOS COMPLETOS, EDIÇÃO BILÍNGUE -
EDITORA LANDMARK), ensaios, peças de teatro e romance. Casou-se e teve dois filhos, mas
apesar de casado, Wilde não abandonou a vida noturna extravagante. Os boatos a respeito
de sua conduta sexual se concretizaram quando Wilde foi condenado e preso por “conduta
imoral”. A partir do escândalo, suas peças de teatro foram suspensas e seus livros
recolhidos. Ao sair da prisão, Oscar Wilde se autoexilou em Paris, aonde viria a morrer em
30 de novembro de 1900 na mais absoluta decadência, pobreza e solidão.

                                              Editora LGE                                                    

A LGE Editora atua no mercado editorial brasileiro há 10 anos, com sede em Brasília, ponto central do país e com parque gráfico próprio muito bem instalado e com tecnologia atualizada. A capital federal possui hoje uma grande oferta de profissionais capacitados e uma grande capacidade intelectual.

Brasília tem uma das maiores Universidades do país e várias outras Faculdades, a representação da imprensa com sucursais dos principais veículos nacionais e ainda uma população de técnicos, pedagogos, juristas e profissionais liberais, designers, ilustradores todos com ampla capacitação para a produção de obras editoriais, formando um acervo intelectual muito grande, tendo possibilitado assim a existência da Editora com condições de gerar a oportunidade de disseminação destes conhecimentos a nível nacional e internacional.

Brasília reúne qualidades excepcionais para a edição de obras literárias e técnicas, não só pela sua posição geográfica e estratégica na logística de distribuição, mas também nas oportunidades da divulgação através dos veículos de comunicação nacionais aqui postados.

Nestes últimos anos foram adquiridos recursos humanos necessários à importância e a capacitação da Editora para selecionar, analisar, editar e distribuir suas obras com critérios e objetivos bem definidos, levando nossos autores e suas obras ao conhecimento dos leitores em todo o país.

Hoje a LGE Editora tem uma linha editorial definida: livros de texto ficção e não ficção (exceto poesia), biografias e literatura infantil e juvenil.

As obras da LGE atingem todo o território nacional através de seus distribuidores e ainda através da venda eletrônica nos principais sites especializados.

Algumas das obras editadas já começam a atingir o mercado de países de língua portuguesa e ainda as de literatura infantil e juvenil a compor as Bibliotecas das escolas públicas no Brasil, Portugal e na África portuguesa. Alguns títulos da LGE já estão sendo editados também em língua inglesa e espanhola.

A Editora conta ainda com uma grande equipe de trabalho na realização de Projetos Especiais na edição de livros para o ensino à distância, formação do leitor jovem e adulto dos Programas de Alfabetização de Jovens e Adultos, literatura infantil para deficientes visuais e livros de arte.

Livros que a Editora já publicou


Quantas coisas! rs. MUITO OBRIGADA!!

Share this:

COMENTÁRIOS

8 comentários:

  1. Oii, parabéns pelas parcerias! Estarei ansiosa aguardando por novidades *--*

    Muito sucesso para você :*

    http://leitorasanonimas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana!
    Parabéns pelas novas parcerias!!
    Que lindo esse box da Jane Austen!
    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  3. Parabens mesmo, e muito sucesso...

    bjos

    ResponderExcluir
  4. Parabéns por tantas parcerias!!

    morri no box da Austen né!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Leitoras!

    Ai, obrigada! Eu fiquei tão feliz, é tão gratificante ser parceira de Editoras incríveis como estas!

    Obrigada pela visita!
    Ana.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Sora!

    Obrigada! É demais, né?
    Eu fiquei apaixonada pelo Box! Quero um pra mim! :(

    Obrigada pela visita!
    Ana.

    ResponderExcluir
  7. Olá, Philip!

    Obrigada pela visita, viu?
    Ana.

    ResponderExcluir
  8. Olá, Paola!

    Imagine o que eu senti quando vi tantas parcerias? Mas confesso que o Box da Jane foi fulminante, rs.

    Obrigada pela visita,
    Ana.

    ResponderExcluir