Autor Parceiro + Entrevista: Christian David





1- Poderia se apresentar aos leitores do blog?
Olá!
Meu nome é Christian David e sou aqui de Porto Alegre. Apesar de ter
formação em Ciências Biológicas descobri na literatura minha maior
vocação. Busco, em meus textos, primeiramente divertir, desenvolvendo
uma literatura fantástica narrada de maneira despretensiosa, mas
também levar a reflexão, principalmente naqueles textos de caráter
mais intimista. Espero que tenham a oportunidade de conhecê-los e se
divertir com eles.


2- Quando você começou a pensar em escrever, e por quê?
Comecei meio de brincadeira, sem grandes pretensões, mas decidi
escrever uma história até o fim. Quando consegui o financiamento da
prefeitura de Porto Alegre é que passei a levar o ofício mais a sério.

3- Além de escritor, você tem alguma outra atividade profissional?
Trabalho em um escritório. Costumo dizer que sou Biólogo por formaçao,
Funcionário por ganha-pão e Escritor por vocação.

4- Como foi o início da carreira? A família e os amigos apoiaram?
Tive apoio sim, principalmente de uma amiga (Ecilda Barros) que leu
meus textos e me incentivou a levar a sério.

5- Como você encara o cenário literário do Brasil atualmente?
Acho que está em desenvolvimento e com ótimas perspectivas, parte
desse desenvolvimento depende de nós, escritores, blogueiros e
leitores ao apoiar e divulgar os autores nacionais.

6- Os livros mais vendidos do Brasil são, sem dúvidas, estrangeiros. Isto parte de um preconceito contra a literatura nacional arraigado há gerações ou crê que haja falta de divulgação e valorização por parte das Editoras?
Existe sim a falta de valorização do autor nacional, mas acho que isso
está mudando. E também há a questão comercial, poucas editoras podem
ou querem investir em autores nacionais, preferem publicar algo que já
fez sucesso lá fora, o que faz certo sentido no mundo dos negócios,
mas literatura também é arte e precisa ser encarada também dessa forma
pelas editoras.

7- Como foi a publicação de seu livro?
Quando me inscrevi para o financiamento junto ao Fumproarte não tinha
grandes expectativas, na verdade foi uma surpresa quando o recebi.
Depois disso tive que me virar para lançar o livro pois não tinha
nenhuma idéia de como era publicar um livro. Apesar de ter pecado em
alguns aspectos a experiência me valeu muito e me incentivou
continuar escrevendo.

8- Como escritor, você deve ler muito. Quais são as maiores referências para você? Alguma escola literária o marcou nesta jornada?
Leio bastante mesmo, mas leio de tudo, entretanto acredito que fui
bastante influenciado pela estilo narrativo dos quadrinhos.

9- Dizem que os primeiros livros são um pouco autobiográficos. Isto se aplica a você? Os personagens foram baseado em pessoas do seu convívio?
Todos os livros carregam um pouco dos autores, não há como fugir
disso. No meu segundo livro, Mão Dupla, o protagonista baseia-se em
várias pessoas que conheci e muitos outros textos meus também sofrem
dessa influência.

10- A sua jornada como escritor apenas começou, creio eu. Qual é o seu maior intento? Qual o maior sonho em sua vida de escritor que ainda não realizou?
Tenho como meta publicar um livro por ano e divulgar mais a literatura
fantástica nacional.
Quero também, é claro, que meus livros, de alguma forma, ajudem a
melhorar o mundo e sirvam de bom entretenimento para os leitores.

11- A Arte de capa de seu livro foi sua idéia ou teve a sua colaboração? Aproveitando a pergunta, além do texto, quais foram as suas contribuições para a edição de seu livro?
Uma amigo artista plástico desenvolveu todas as ilustrações, as quais
apreciei bastante.
Como disse antes não tinha muita idéia do processo completo da edição
de um livro, então acho que falhei em alguns aspectos, principalmente
na questão da revisão que poderia ter sido melhor feita. Tive a ajuda
de uma gráfica na questão do projeto gráfico, mas acabei dando pitaco
em tudo. Felizmente hoje já tenho melhor entendimento desses processos
e posso fazer um trabalho melhor.

12- Quanto tempo levou para escrever seu livro? Há pessoas que certamente revisaram. Qual o papel delas no projeto do livro, ou seja, quanto elas contribuíram efetivamente para a construção do livro até o momento da publicação?
Levei em torno de uma ano para escrever o livro e a revisão foi muito
caseira, de forma que tanto os acertos quanto os erros tem só um
culpado, eu mesmo, hehehe. Apesar da pouca prática nesse primeiro
livro o retorno foi super positivo e o livro tem agradado muita gente.

Share this:

COMENTÁRIOS

2 comentários:

  1. Oi Ana!!
    Muito legal essa entrevista com o Christian David. Já ouvi falar do livro dele, mas não li ainda.
    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  2. Olá, Ana!
    Adorei essa entrevista com o Christian David...
    Ouvir falar muito no livro dele, mas ainda não peguei pra ler ><
    Beijos
    Dudiinha
    Segredos do Coração

    ResponderExcluir