RESENHA: Ingênuo Amor - J.B. Barone


INGÊNUO AMOR
Autor: J.B. Barone
Editora: Ixtlan
Ano: 2010
Páginas: 142
ISBN: 97885909619322
Página no Skoob

Sinopse: Naiane é uma menina pobre que tem problemas familiares. E para "piorá-los", ama Pedro Henrique, um menino com algumas posses e que aparenta odiá-la. Terá Naiane que superar os preconceitos que a rodeiam para viver um amor digno de sua ingenuidade.




Introdução
O livro conta a história de vários jovens em faixa etária de 13 anos, a idade média dos alunos da 7ª série. Dentre eles, destacam-se Naiane e Pedro Henrique, opostos totais em questões familiares e econômicas. A abordagem é acerca dos preconceitos que existem contra a menina e se serão superados em favor de seu amor.

Capa
Fofa demais! E o coração na mão (literalmente) traduz bem os sentimentos de Naiane no decorrer do livro. O único problema é o material que amassa facilmente.

Estrutura
Narrado em 3ª pessoa do singular, de modo onisciente, do tipo romance. Enquadra-se na classificação de literatura infanto-juvenil. A revisão da Editora deixou a desejar, pois muitos erros de concordância, coesão e inconstância na narração (em muitos momentos o narrador é onisciente e em outros é em Primeira pessoa, sem nenhum motivo aparente) se encontram na obra.

Análise
O enredo é muito bom. A história cativa, além de ser muito verossímil (apesar de fictícia). Pontos interessantes são, por exemplo, a estrutura do ambiente em que a história foi construída, apropriada para o país (Brasil) e a região, sem idealizações norte-hemisféricas; A crítica aos contrastes, resultando em uma observação nítida dos níveis de desigualdade social; A abordagem do amor infanto-juvenil como realmente o é; problemas familiares tão recorrentes como o alcoolismo; A religião inclusa de forma a justificar a fé das personagens e fazer o leitor refletir, sem outorgar-se.
As personagens, por sua vez, são pouco complexas, exceto as mais importantes, como Naiane em principal; tal fato não altera em suma o romance, pois imagina-se que adolescentes dessa faixa etária estão começando a sofrer um aprofundamento psicológico.

Nota da Leitora: este foi um livro difícil. O enredo é incrível, com tudo que citei; mas os erros de revisão me deixaram bem temerosa.

Avaliação:
- Nota de Capa: 8
- Nota de Enredo: 10
- Nota de Coerência e Coesão: 6
- Nota de Gramática: 5
- Nota de caracterização das personagens e ambientação da história: 8
- Nota do Final: 8

Nota final: 7,5


Recomendações
Aos simpatizantes da literatura nacional, aos que acreditam no amor puro e aos que desejam uma leitura equilibrada em crítica social e religião.

O Autor
Josemar Luiz Barone.
Natural de Colatina - ES, próximo à Mutum em Santa Júlia.
Filho de Maurílio Barone (in memorian) e Carlinda Tessarolo Barone. Uma família de 06 filhos.
Descendente de italiano.
Casado com Isaura Mulinari Barone
com quem tem três filhos: Thiago Mulinari Barone (17 anos), Luana Mulinari Barone (12 anos) e Maria Isabelly Mulinari Barone (03 anos)
Graduado em Pedagogia.
Atualmente ocupa o cargo de Secretário Municipal de Administração de Rio Bananal - ES.
Religião: Católico.
Autor de 13 obras editadas, dos quais 09 são romances.
Foi seminarista durante 02 anos.
Viveu no meio rural até os 13 anos de idade, quando ingressou no seminário para dar continuidade aos estudos, mas sem perder o vínculo com seus familiares e o meio rural.
Seu gosto pela ficção manifestou bem cedo. Desde os 10 anos que já construiu pequenos textos na escola.
Amante da natureza.

Share this:

COMENTÁRIOS

5 comentários:

  1. Eu estou apaixonado, mas sangrando. Não um rio de sangue, mas gotas. : ( --- : )

    ResponderExcluir
  2. nem conhecia, mas achei tão bonito! Uma pena que deve ser difícil de achar...

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia, mas tb achei a capa muito fofa!

    Bjs,
    Kel - It Cultura
    www.itcultura.com

    ResponderExcluir
  4. Pena que o livro possua vários erros gramaticais. É chato ler um livro e ficar o corrigindo.
    Bjos, Maria.

    ResponderExcluir
  5. Parece ser bem fofo...
    Ótima resenha, muito bom o jeito que vc monta a resenha.
    Bjos, Carol.

    ResponderExcluir