RESENHA: Os Meninos de Gateville - Renatho Costa


OS MENINOS DE GATEVILLE
Autor: Renatho Costa
Editora: Novo Século
Número de Páginas (subtraindo-se as páginas que não a história propriamente dita): 319 - 6 = 313
Ano: 2010
ISBN: 978-85-7679-328-1
Página no Skoob
Site do Livro
Onde Comprar: Editora Novo SéculoLivraria Cultura

Sinopse
Jimmy, um escritor de sucesso, vivendo um momento de absoluto conflito emocional, sai para uma viagem sem rumo e acaba chegando à Gateville, uma cidade que sequer consta no mapa.
Lá, o escritor se vê diante do maior mistério que até então vivenciou (ou criou em seus romances!) e, sem que planejasse, assume o compromisso de descobrir o que aconteceu na noite em que o menino Tommy morreu.
No entanto, as três crianças que estiveram com Tommy, no dia do crime, deixaram a cidade e Jimmy passa a procurá-las por vários lugares do mundo.
Durante a procura pelos meninos de Gateville, a vida de Jimmy vai mostrando um lado que nunca havia sido exposto. Será que descobrir o que aconteceu com Tommy trará a redenção de um passado? É só isso que Jimmy pensa enquanto segue pista a pista, cidade por cidade até chegar ao Brasil.
Um crime tão abominável quanto este precisa ser desvendado. O mundo não pode esquecê-lo, como Gateville o fez... mas tudo tem de ser feito com tempo marcado.



Introdução
Um menino é brutalmente assassinado em Gateville, Canadá, e o famoso escritor James Cleveland é tido como suspeito pelo Xerife local após ter ficado desaparecido por três dias. Jimmy, como o escritor é conhecido pelos leitores de Os Meninos de Gateville, deve encontrar o verdadeiro culpado para se inocentar... E vingar a vida daquele pobre garoto.

Estrutura
O livro é bem escrito, com uma boa alternância entre os picos de tensão e as horas de calmaria. A "teia" de intrigas é muito bem traçada, e algumas partes são realmente inimagináveis, justamente pelo autor conseguir camuflar aspectos vitais para a compreensão da trama até o final. O único que incomoda em diversas partes do livro é o excesso dos pontos de exclamação; nada que atrapalhe a leitura, mas é algo a se considerar.

Capa
A arte da capa é magnífica. O título do livro com os respingos de sangue atraem o leitor para o contraste tão vivo do vermelho rubro com a brancura da neve e a escuridão das roupas do personagem (pode-se até aludir à escuridão interna do mesmo).

Análise
Demorei apenas seis dias para ler. A meta era ler até dia 01, terça-feira, mas não aguentei muito mais tempo. A trama começa bem calma, vai ganhando profundidade quando Jimmy se perde e descobre o assassinato do pequeno Tommy. À medida que Jimmy procura as respostas para o crime, acaba encontrando pistas para as respostas sobre si mesmo. Antes de tudo, ao desvendar o crime Jimmy está desvendando seu passado. Eu gostei muito do livro! Quase passava mal ao ter que parar de ler (para poder ler os outros livros tão bons quanto em paralelo). É impossível parar! É uma queda vertical: não dá para interrompê-la, porque algo te puxa mais e mais para dentro da trama, e consequentemente para o final dela. Fui arrastada com força para dentro da espiral de fatos, revelações e crimes que rodeiam o assassinato central. A única coisa de que não gostei muito foram as alusões negativas ao Brasil. O país não é dos melhores, passamos por uma época violenta na Ditadura Militar, mas eu ainda acho que não se deve concluir que todos os profissionais deste país são corruptos (principalmente os militares). O poder corrompe - e muito, eu sei - e também entendo que este pequeno inconveniente era necessário para o desenrolar da trama. Isto é apenas uma sensação pessoal.

Por que escolhi este livro?
Os Meninos de Gateville foi uma cortesia do autor, Renatho Costa, parceiro do blog. Eu guardarei o livro com muito carinho, já se tornou um dos grandes nacionais de minha estante. Se encontrasse para vender em minha cidade, não tenho dúvidas de que compraria sem hesitar.

Personagem Favorito
June! A menina demonstra um grande amor pelo menino Tommy, e muitas peças do quebra-cabeça estão com ela, refletidos em sua forma de pensar, reagir e, biologicamente, de crescer...


Trechos selecionados que merecem atenção
- Faz tempo que a criança morreu? - perguntei olhando para os suportes do caixão.
- Como você sabe? - olhou para mim espantado.
- Imaginei... - resolvi, naquele instante, não falar nada a respeito dos suportes do caixão, até porque minhas suspeitas se confirmavam.
- É melhor você não perguntar nada a ninguém a respeito dessa morte... é melhor!
- Por quê? - estranhei a observação.
- ... é melhor.

- Eu sei que não é de minha conta, mas estão falando coisas terríveis sobre você na cidade.
- Eu não fiz nada, Sra. Stein.
- Eu não estou dizendo isso - ela ficou ainda mais nervosa - mas tenho medo que o xerife consiga fazer com que a cidade queira julgá-lo pelo crime.

- Ele estava usando o agasalho vermelho que minha mãe tinha-lhe dado. Tão bonitinho...
- A senhora tinha amizade com a família dos outros meninos que estavam com ele naquele dia? 
- Eu nunca fiz nada para ninguém, sr. Cleveland... - ela dizia as coisas sem ouvir o que eu falava, no fundo, queria apenas extravasar seu sofrimento e qualquer coisa que eu dissesse não teria validade naquele momento.
Novamente, lembrei (sic) de minha mãe.

Avaliação
- Nota de Capa: 10
- Nota de Enredo: 9
- Nota de Coerência e Coesão: 10
- Nota de Gramática: 9
- Nota de caracterização das personagens e ambientação da história: 9

Média: 9,4

Nota do Livro:


Recomendações 
Para quem aprecia a boa literatura nacional e romances policiais com muito suspense, ação e reflexão.


O Autor
Renatho Costa começou a carreira escrevendo roteiros para vídeos institucionais, mas na sequência passou a trabalhar com teatro e teve vários de seus textos encenados (alguns premiados). Como um prolongamento da carreira dramatúrgica, Renatho passou a escrever contos e com Os meninos de Gateville estreia nos romances. Paralelamente à carreira artística, o autor também desenvolve atividade acadêmica, sendo especialista em Terrorismo e Oriente Médio. Saiba mais no site do autor.









Share this:

COMENTÁRIOS

9 comentários:

  1. Acabei de ler a sinopse do livro em outro blog (Garota Pai D'égua) e fiquei muito entusiasmada. Adoro romances policiais e é bom saber de um título nacional do gênero!
    Muito boa a resenha.

    Beijos
    Naty
    http://ancalimefamily.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana, acabei de ler sua resenha e gostaria muito de agradecê-la pela qualidade dela. Independentemente de ter feito boas considerações (fico satisfeito com isso!), mas gostei mesmo de como você analisou o livro. Parabéns e espero continuar a surpreendê-la em minhas próximas aventuras literárias, até porque, tenho certeza de que será ainda mais crítica. Parabéns pelo trabalho no blog. Bjs

    ResponderExcluir
  3. OI! Fiz uma resenha do livro A Ultima Musica e adoraria que vc fosse lá e postasse sua opinião.EEEEu ficaria muito feliz!!
    Bjãaão,Sofi.
    vida-de-garota-brasil.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Ótima resenha Ana,
    O livro tem um "Q" de bem interessante. Já o adicionei na minha lista de 'desejados' no skoob.
    Sucesso para você e para o autor também
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. A capa é linda, realmente e a proposta me agrada.

    Sem dúvidas, eu qro lê-lo.

    BjoO
    Pri
    Entre Fatos e Livros

    ResponderExcluir
  6. Um livro policial nacional? Já gostei!
    Além disso, muito boa a iniciativa (e oprtunidade) de divulgar a literatura brasileira.

    Ótima resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Fiquei com muita vontade de ler. A capa e a sinopse me chamaram muito a atenção, e quando vc disse: " É impossível parar! É uma queda vertical: não dá para interrompê-la, porque algo te puxa mais e mais para dentro da trama, e consequentemente para o final dela.", fiquei com mais vontade de ler.
    Bjos, Carol.

    ResponderExcluir
  8. Esse livro parece ser massa. Vou comprá-lo com toda certeza.
    Bjus, Maria.

    ResponderExcluir
  9. O livro tem uma história muito interessante, estou torcendo para ganhá-lo!!

    ResponderExcluir